Quando um paciente epiléptico é considerado curado

Epilepsia tem cura?

A epilepsia é uma doença neurológica crônica caracterizada por crise epilépticas que tendem a se repetir quando as pessoas não são tratadas. A definição clássica requer pelo menos duas crises não provocadas com um intervalo de pelo menos 24 horas entre as crises para se estabelecer o diagnóstico da doença epilepsia. Isso quer dizer que um diabético pode ter uma convulsão por hipoglicemia mas não será epiléptico por isso. É preciso que a pessoa esteja livre de causas externas como drogas, medicamentos, doenças graves, infecções, alterações de eletrólitos para que possamos considerar a crise como um sinal da doença epilepsia. Uma vez feito o diagnóstico, a maior dúvida dos pacientes é por quanto tempo deverão tomar medicação e se algum dia ficarão curados.

O principal objetivo do tratamento é o controle total das crises

O primeiro objetivo do tratamento da epilepsia é deixar a pessoa completamente livre de crises, sejam convulsivas generalizadas ou as focais quase imperceptíveis. Para isso preferimos controlar as crises usando uma medicação apenas, já que a associação de remédios aumenta o risco de efeitos colaterais. Entretanto, se necessário, combinamos medicamentos para um melhor resultado. Sabemos que epilépticos não controlados correm riscos, inclusive o de ter uma parada cardíaca por causa da epilepsia (SUDEP).

Nosso segundo objetivo é que o paciente esteja livre de crises e também livre de efeitos colaterais. Por fim, com as crises controladas e sem efeitos colaterais, a pessoa pode viver sua vida normalmente em todos os aspectos, assim atingimos esse terceiro objetivo do tratamento.

A duração do tratamento para epilepsia

Quando o neurologista consegue obter o controle total das crises e o paciente está bem adaptado com sua medicação, o próximo passo é saber por quanto tempo o tratamento deve ser continuado. Lembremos que a suspensão abrupta dos medicamentos por decisão do paciente é a principal causa de crises epilépticas graves que podem levar a hospitalização e até a lesões permanentes no cérebro. Por isso, a retirada da medicação dever ser feito pelo médico de forma lenta e gradual.

Algumas formas de epilepsia têm mais chance de cura que outras

Existem alguns tipos de epilepsia que acontecem até uma certa idade, quando o paciente atinge essa idade, ele poderá ser considerado curado. Nesse caso, a cura da epilepsia é decorrente do amadurecimento do cérebro que se torna mais estável. A Epilepsia rolândica é um desses tipos de epilepsia que desaparecem entre os 14 e 18 anos.

Também há aqueles que obtêm controle total das crises por tempos prolongados e o médico pode fazer a retirada se o paciente está há mais de 2 a 5 anos sem crises clínicas e não há razões para suspeitar que o mesmo voltará a ter crises com a retirada dos remédios. De acordo com a classificação mais recente da Liga Internacional contra a Epilepsia, um paciente é considerado curado se está há mais de 10 anos sem crises epilépticas e nos últimos 5 anos desse período ficou sem medicamentos para epilepsia.

A epilepsia é considerada curada quando o paciente está há mais de 10 anos sem qualquer tipo de crise epiléptica e está há pelo menos 5 anos sem medicações para epilepsia.

Viver a vida plenamente é o maior benefício do tratamento

É importante saber que não são todos os pacientes que se curam de epilepsia, mas a grande maioria atinge um controle total ou bastante satisfatório das crises e pode viver de maneira produtiva. Com os tratamentos novos em desenvolvimento, a esperança de vida normal vem se tornando concreta para a maioria das pessoas que enfrentam esse problema. Além disso, temos também a possibilidade de cirurgia em casos selecionados.

Se do ponto de vista médico e científico o tratamento da epilepsia tem avançado, na questão social ainda há muito o que melhorar. A doença ainda é cercada de preconceitos, o que pode ser mais limitante que as próprias crises. Devemos trabalhar para a conscientização da população, mostrando que a epilepsia não é contagiosa e não carrega qualquer valor que diminua a pessoa portadora. É importante que familiares, amigos e colegas de trabalho apoiem o paciente e ele se sinta seguro o tempo todo dentro da sua comunidade.

Roger Taussig Soares
Neurologista – São Paulo
crm 69239

Digiprove sealCopyright secured by Digiprove © 2019 Roger Soares
Comments
    • Olá Sílvio!

      Obrigado pela pergunta.
      Em geral, quando a epilepsia começa na fase adulta a chance de cura é menor.
      Isso porque a epilepsia do adulto costuma ser sintomática. Quer dizer, ela é um sintoma de alguma lesão adquirida no cérebro.
      As causas para lesões cerebrais podem ser: tramatismo craniano, acidente vascular cerebral, cisticercose, tumores e qualquer coisa que cause uma lesão focal.
      É importante fazer o diagnóstico com imagem para afastar doenças que precisam tratamento especial.
      Quanto às crises, felizmente costumam ser de fácil tratamento.

      abs!

      • Comecei a ter crises de ausências com 11ou 12 anos, a partir dai com 14 ou 15 anos tive minha primeira convulsão a partir dai nao parou mais , o neurologista receitou pra eu romar trileptal 300mg mesmo assim nao resolveu, parei de tomar os remédios nao tava resolvendo nada ,hj estou com 25 anos, continuo tendo crises de ausências todos os dias, e convulsões de 1mes e em 1 mes tava dando convulsões ai agora tava ate feliz porque fiquei quase 2 meses sem dar convulsões de agosto ate outubro min de uma resposta DR em que situação estou?
        ,

      • Bom dia, deixa eu te falar Estou sentindo crises parcial complexa, senti até 20 vezes durante uma semana, fiz ressonância magnética ñ deu nada, fiz um eletrosefalograma ñ deu nada ,estou com sinusite crônica será que pode ser isso que está causando as crises?

      • Meu irmão começou a ter crises com 13/14 anos. Hoje ele tem 23 e continua tendo. Será que um dia ele vai se curar ?

      • Meu nome é Karine tenho 19 anos e comessei a ter crises de ausência com 8 anos e por n ter tomado o remédio direito. Comessei a ter convulsão. Quando completei 12 anos voutei a ter convulsão . Eu tenho chances de ficar curada……?

    • Eu tive minha primeira convulsão com 14 anos agora tenho 16 o médico falo que está metade ainda está metade comprometido mais ainda penso que não vai para o remédio por causa támto tempo tomando tem alguma chance garantida que irá tira o remédio ?

    • Olá, Não sei dizer a época exata, mais entre os 14 a 15 anos tive uma crise onde fiquei sem reconhecer ninguém, isso durou uns 20 segundos, e aos meus 17 anos tive uma convulsão onde minha mão esquerda e minha boca virou e tive o desmaio, daí dps tive mais duas crises em 1 mês só que não tive desmaios, foi apenas a boca, comei usando 1 fenobarbital por noite e ainda tinha umas treminas no dedo e nariz, mudei de médico e hoje tomo carbamazepina 200 mg 3 vezes por dia, tenho 22 anos e não tive mais crises, sinto apenas minha boca do lado esquerdo meio dormente, isso é de se preocupar ?

  • Olá!

    Eu fui diagnosticada com epilepsia aos 17 anos, hj tenho 29, faço uso de 1 fenobarbital por noite, fico sem crises a anos, da última vez fiquei 3 anos sem crise, quando tive de novo, não cheguei a convulsionar, apenas senti uma ameaça de crise, isso já aconteceu 2x mesmo ano, devo me preocupar? Ou pode ser um sinal de q as crises estão cessando?

    • Olá Flávia,

      Infelizmente devo lhe dizer que “ameaça de crise” é crise mesmo. Acontece que uma crise epiléptica que fica restrita a uma parte do cérebro gera sintomas apenas relacionadas àquela parte.
      Por exemplo, uma crise restrita à região da visão, pode se manifestar com alucinações visuais; uma crise que pegue a região do hipocampo pode gerar sensação de cheiros estranhos; na região da insula pode causar um calafrio na barriga e assim por diante.
      A crise que não pega o cérebro inteiro é chamada de crise focal. As crises focais precisam de tratamento do mesmo modo que as generalizadas.
      Se quiser marcar uma consulta comigo, entre em contato pelo WhatsApp 11-94022-9838.

      🙂
      Roger Soares

    • Meu filho tem crise de comvusao desde 7 meses de idade a primeira crise ele estava febril mas as outras 14 ja forao sem febre e ser motivo derepente ele faz uso de valproato de sodio 5ml e carbamazepina 7,5ml 2×día desde semtenbro foi a última crise ele ter chance de cura?

  • Olá. Meu nome é Daniela e minha mãe foi diagnosticada com Epilepsia, faz mais de 10 anos que não teve episódio de crise… Mas, eu estou preocupada porque faz alguns dias que ela vem tendo alucinações ela está ouvindo coisas do tipo que querem matar ela… Será que é a doença querendo voltar?????

    • Olá Daniela,

      Esses sintomas não devem estar relacionados com a epilepsia.
      É preciso investigar melhor porque ela está tendo delírios de perseguição.
      Várias coisas podem causar esses sintomas paranóides, mas a epilepsia não é a causa mais provável.
      Leve-a em um neurologista ou psiquiatra.
      Estou à disposição no consultório.
      att

      Roger Soares

  • Olá Dr!
    Aos 07 anos de idade eu desenvolvi crises convulsivas. Logo, diagnosticada epilética
    Meus pais sempre foram muito preocupados, cuidados. Principalmente meu pai, ele me restringiu a muitas coisas devido essa condição, me via como uma inválida, devido o pouco grau de estudos dele, bem como por orientações médicas que eu nunca poderia ser curada.
    Fiz uso do medicamento Tegretol.
    Por volta dos 10,11 anos já não sentia mais as crises, e a médica decidiu que retirasse a medicação controlada de mim. Meu pai incrédulo procurou outro especialista e ele teve o mesmo entendimento da médica anterior.
    Aos 12 tive paralisia facial, causa não definida, já que em todos os exames, principalmente neurológicos, não se diagnosticou nada.
    Então, nunca mais tive crises e comecei a compreender as coisas.
    Hoje, tenho 22 anos, sou formada em ciências jurídicas, trabalho, viajo, namoro, bebo socialmente, vivo normal.
    Porém, meu pai ainda me ver como uma inválida, que tem “doença na cabeca”, que precisa de tratamento. E tambem escuro que não existe cura. As vezes tenho medo de voltar a ter e fico pesquisando.
    O senhor acha que me adequo neste caso de pacientes que tiveram o “amadurecimento do cérebro”?
    Muito obrigada pela informação!
    Que sua sabedoria sempre se enalteça
    Abraço!

    • Olá Emiliane,

      Com certeza você se enquadra nos critérios de cura para epilepsia. Quando a pessoa não tem crises há mais de 10 anos e não toma medicação há pelo menos 5 anos, ela é considerada curada da epilepsia de acordo com os conceitos atuais.
      Você pode viver sua vida normalmente, sem se preocupar com isso.
      A epilepsia, no seu caso, ficou no passado.
      abs

      • Eu tive crises de ausência quando tinha 8 anos, porém isso se agravou e me deu uma única convulsão dormindo. Me tratei com o medicamento Carbamazepina por 2 anos e os médicos suspenderam o medicamento. Hoje faz 10 anos que não tomo esse medicamento e não tenho nada de crises.
        Quero saber se posso beber cerveja e vinhos?
        Obs: Estou com 19 anos

        • Olá Igor,

          Acho melhor evitar o consumo excessivo de álcool. como você está curado da epilepsia, você pode beber mas com bastante moderação porque não sabemos se existe ainda algum risco de ter crises e o álcool aumenta esse risco.

          • Minha neta teve uma convulsão em estado febril(37,6), com 1 ano e sete meses. Ao fazer o eletroencefalograma o neurologista diagnosticou como epilepsia e administrou gardenal e solicitou uma ressonância. É correto este diagnóstico conclusivo só com o eletroencefalograma?

          • Dependendo do padrão encontrado no eletroencefalograma, o diagnóstico pode ser feito. Inclusive existem padrões característicos de síndromes epilépticas.
            Porém, o Gardenal não é o medicamento mais utilizado atualmente.
            Minha sugestão é que procure uma segunda opinião com um neuropediatra da sua cidade.

            atenciosamente,

            Roger Soares

          • Meu filho teve catapora depois de um ano ,teve três crises convulsivas .e faz uso de carbamazepina de 200mg já faz dois anos usando esse medicamento e não teve mais graças a Deus.gostaria de saber se ele tem chance de deixar o medicamento . Doutor muito obrigado

          • Olá Dr. Eu só tive crises duas vezes em mês diferentes o Dr.passou para mim tomar carpamazipina de 200mg para mim tomar um comprimido por noite eu tive as crises em 2018 já tem 2 anos que não tive crise eu posso está curada

      • Olá,Dr!
        Meu filho teve sua primeira crise epilética dia 23 de setembro,com 11 meses e 15 dias.
        Foram 5 crises focais esquerda num único dia.
        Iniciamos com fenobarbital 40 mg no dia seguinte,30 gotas a noite.
        Fizemos tomografia e eeg em sono e vigília,que não apresentaram nenhuma alteração.
        É necessário continuar com a medicação?
        Mesmo sem aparecer nos exames ele é considerado epilético?
        Agradeço desde já.

        • Se as crises foram todas no mesmo dia, o diagnóstico de epilepsia pode ser revisto.
          Várias crises no mesmo dia podem ser interpretadas como uma única crise e vai depender da probabilidade que o médico avalia de ter novas crises que faz ele decidir se deve ou não continuar com medicação e fazer o diagnóstico de epilepsia.
          Essa é uma flexibilização proporcionada pela classificação atual das epilepsias em que não é mais necessário esperar mais de duas crises com intervalo maior que 24 horas para fechar um diagnóstico se houver evidências fortes de que há um risco alto de ter novas crises.
          Estou à disposição para uma consulta se precisar.

          atenciosamente,

          Roger Soares

  • Desde 2014 venho tendo convulsões. As vezes fico mais de 6 meses sem ter uma convulsão. Fiz tomografia e deu tudo ok . O que será que causa essas convulsões??

    • Olá Valdenice,
      A maior parte das pessoas com epilepsia não tem qualquer alteração nos exames de ressonância ou de EEG.
      O importante é fazer o controle com as medicações adequadas.
      Se quiser marcar uma consulta, estou à disposição.

      • Olá dr! Minha filha teve a primeira crise com 18 anos ela teve catapora neste mesmo periodo isto foi em 2018 ela teve 3 convulsões no período de 2 meses daí o médico receitou fenitoina meio comprimido metade de 100mg por dia as crisies não voltaram mais faz um ano que ela está sem crises.
        O eletrocefalograma deu lentidão no resultado.
        Por favor gostaria da sua opinião sobre este caso será que ela pode se curar?
        Desde já agradeço sua atenção!
        Abraco
        Isabel.

        • Olá Isabel,
          É difícil emitir alguma opinião sem ter examinado sua filha e os exames.
          Pelo que a senhora relata, é possível que ela tenha tido uma meningoencefalite relacionada ao vírus e isso pode ter afetado o cérebro dela.
          É preciso acompanhar para ver se o cérebro consegue se estabilizar.
          Depois de 5 anos sem crises, o médico pode tentar tirar os medicamentos. Se ela ficar mais 5 anos sem remédios e sem crises, ela pode ser considerada curada.
          abs

          Roger Soares

    • Boa noite. Minha filha aos 8 anos paralisou em meus braços, pensei q ela estava morrendo, balancei muito ela e fiquei chamando ela, até q ela me ouviu e em poucos minutos retornou, eu não sabia do que se tratava, a levei em um neurologista q não é pediatra mas atende criança e ele me falou q era começo de epilepsia, então passou o gardenal uma vez pela noite, passaram 2 anos e ela não teve mas crise, só se teve dormindo e eu não vi, agora dia 2 de fevereiro de 2020 ela estava dormindo e acordei ela pra tomar banho, não esperei seu corpo esfriar e já coloquei ela no banheiro e joguei água em sua cabeça sendo água quente e então ela ficou tonta e mole querendo desmaiar, não chegou a cair eu a segurei, ela deu uma breve tremida em seu braço, gostaria de saber se isso seria uma nova crise e se tem relação com a água q joguei em sua cabeça sem deixar ela descansar e se posso ter esperança q um dia ela será curada.

    • Minha prima tem uma bebê e começou a ter crises aos 6 meses já deu 5 crises a cada meses hoje ela tem 10 meses e toma o fenobarbital, disseram os médicos que e genética a epilepsia dela, grande mal como eles chama, ao passar dos anos ela será curada ?

  • Olá Boa noite fui diagnosticada com pequeno mal já tem dez anos que tenho crises ,fico fora do ar por segundos em seguida vem bossejos é uma tristeza, depois da crise não consigo falar nem ouvir e fico mastigando e apertando a mão vc pode me dizer se posso ter cura , não tomo nem uma medicação. Obg

    • Olá Ana Cláudia,

      Aparentemetne você tem crises focais com comprometimento da consciência.
      É possível controlar suas crises com medicamentos que não vão interferir na sua qualidade de vida.
      Isso vai lhe dar mais segurança para suas atividades de trabalho, estudos e lazer.
      Invista num bom tratamento.
      Estou à sua disposição.

      Roger Soares

      • Olá bom dia continuo tendo às crises de ausência, só que ultimamente tem aumentado procurei um neurologista e ele me receitou trileptal 300 mg por dia ,mas tenho tido muitas tonturas e perdi o olfato.como posso fazer pra ta marcando uma consulta com vc?

      • Bom dia qual medicação mas recomendada para o meu caso já tentei lamotrigina, depakene,lacoten,carmazepina,. Edantal,trilepital,porem continuo tendo crises .qual medicação vc me recomendaria? Como faço pra fazer uma consulta online

  • Oi doutor Em 2015 precisamente no dia 14 de Agosto tive uma convulsão a Tarde deitado na Minha cama eu trabalhava pela manhã e fui deitar para descansar um pouco . quando acordei estava cercado pela minha irmã e meu cunhado e meu Pai . que disseram q eu tinha dado uma convulsão fui ao hospital aki da cidade mas o médico clínico geral q me atendeu na época não me orientou a fazer exames disse q uma vez na vida seria normal e que poderia ter sido pelo cansaço a crise . só q após 1 mês e meio no dia 27 de Setembro tive outra convulsão dessa vez no trabalho daí fiz uma ressonância e deu no resultado uma fenda no Lobo Frontal Direito e tava dizendo q era sugestivo de Esquizencefalia . desde essa época tenho tomado Gardenal 2 vezes ao dia . mas mesmo assim tenho convulsão de 6 em 6 meses queria saber se tenho chance de cura ? Hj tenho 30 anos quando comecei a convulsionar eu tinha 26 anos. O médico Neurologista q eu fui disse q foi algo durante a gestação da minha mãe q afetou queria muito ajuda pra saber o q posso fazer. Desde ja agradeço. Meu nome é. Jaderson Moro em Ubá mg Deus Abençoe ao senhor Doutor..

    • Olá Jaderson,

      Como você tem uma alteração física no cérebro, é provável que você tenha que tomar remédios para controlar as convulsões por toda a vida.
      O mais importante é que tomando medicamento você possa viver normalmente e não tenha nenhuma crise mais.
      Acho muito possível que você fique totalmente livre de crises se você estiver com os medicamentos acertados.
      Se você ainda está com Gardenal, é melhor seu neurologista trocar por um remédio mais eficaz.
      Abraços

    • Olá doutor,tive a primeira convulsão pouco depois de ter bebê,e depois mais duas no intervalo de 1 cada uma.
      Fui ao neuro,fiz uma tomografia e foi constatado q o verme do porco tinha calcificado do lado esquerdo.
      Tomei medicação por 2 anos seguidos,carpamezepina 100mg. Depois o médico liberou e passei 2 anos sem crise,e num momento de muito estres e noites mal dormidas tive uma pequena crise.E hj tem 7 meses q voltei com a mesma medicação.Tem chances de parar a medicação um dia? Posso engravidar,sem gerar problemas para o bebê?

      • Olá Lídia,

        A carbamazepina não é a melhor medicação para tomar enquanto estiver grávida.
        Em geral as pessoas que tem epilepsia por neurocisticercose (o verme do porco) precisam tomar remédio a vida inteira.
        Meu conselho é que converse com seu médico e programem juntos para que você engravide no momento certo e com o melhor remédio para controlar suas crises e não fazer mal ao bebê.

        Abraços,

        Roger Soares

        • Boa noite Doutor.
          Tive eplepsia quando jovem, fiz tratamento com Hidantal 100mg.
          Já fazem mais de 10 anos que não tenho crise e não tomo mais medicamentos.
          Porém a algum tempo , acordo com tremor no antebraço direito.
          Não perco os sentidos, tem duração de 30 segundos a 10minutos.
          Fiz um EEG e o resultado foi normal.
          O que pode ser?

          Muito obrigado pela atenção.

  • Olá DR! Aos 19 comecei as crises e desde então uso o oxcarbazepina, desde de lá já convulseonei 5 vezes, mas não fazia o tratamento correto,acha que posso me livrar da medicações?

    • Olá Vanucci,

      Ficar sem medicação vai depender se sua epilepsia é do tipo primária (idiopática) ou secundária a alguma lesão no cérebro. Na sua idade ainda é possível ter epilepsia primária, especialmente a epilepsia mioclônica juvenil, se for esse o caso, isso pode ser bem positivo.
      O que lhe aconselho é seguir o tratamento com o máximo de cuidado e ficar 5 anos sem crises. Aí seu médico vai poder tentar fazer a retirada da medicação.
      Siga com confiança e seja responsável com sua saúde.
      abs
      Roger Soares

  • Olá Dr. Roger, tudo bem? Tive a primeira crise convulsiva em 2007. A crise inicia com a chamada “marcha jacksoniana”, na mão direita, braço e por duas vezes cheguei a desmaiar. Fiz tratamento por uns 3 anos e fiquei 7 anos sem remédio e sem crises. Em 2017 ocorreu novamente, com perda da consciência. Reiniciei o tratamento com hidantal novamente. Hoje (14/06/2019), mesmo tomando medicação certinha há quase dois anos aconteceu de novo, sem perda de consicência. Já fiz ressonâncias e o diagnóstico é neurocisticercose. Há possibilidade de eliminar essas crises? Seria bom substituir o medicamento por outro ou somente aumentar a dose? Fico muito grato se me responder, pois esse problema tem me derrubado literalmente.

    • Olá Rogério,

      a primeira coisa a fazer é dosar a fenitoina no sangue. Se estiver baixa, é possível que apenas um ajuste de dose do Hidantal seja suficiente para controlar as crises.
      Mas caso esteja em um bom nível, seu médico deve considerar trocar a medicação.

      abs

      Roger Soares

  • Olá sou a Suelen!!!
    Doutor comecei a ter crises de convulsões em 2010, a maioria era de manhã acordava e já apagava, comecei a fazer o tratamento com a Carbamazepina 200 mg e depois d várias crises naquele ano e em 2011. Não tive mais convulsões, ainda tomo a medicação agora estou com 31 anos .
    Queria saber se por não ter mais nenhuma crise, se eu já poderia começar a suspender a Carbamazepina. Obg

    • Olá Suelen

      Você precisa ir no neurologista para avaliar por meio de exames se é possível retirar sua medicação.
      Em teoria, estando há mais de 5 anos sem crise, dá para tentar diminuir gradualmente a dose até parar.
      Mas somente seu médico pode fazer isso com segurança.
      Se quiser marcar consulta comigo, também estou à disposição.

      abs

      Roger Soares

  • Oi,meu nome é Bruna.
    Minha filha teve a primeira crise com 1 ano e 2 meses ,ela faz uso de fenobarbital durante a noite 1 vez,o neurologista pediátrico está fazendo a retirada gradativa de 5 gotas a cada 15 dias.
    Ela faz uso de medicamento de fenobarbital a quase 2 anos.
    No momento ela está tomando apenas 5 gotas e daqui 6 dias vai parar de tomar definitivo.
    Desde de que começou a fazer o uso do medicamento não teve mais crise.
    Quais são as chances de ter crise novamente?

    • Oi Bruna,

      Se a crise aconteceu quando ela estava com febre, a chance de ela voltar a ter crises é bem baixa.
      Mas ela vai precisar fazer um acompanhamento longo, só por garantia.

      abs

      Roger Soares

  • Boa noite Dr Roger Soares….Sou Jefferson e tenho minha filha de 3 aninho e ela foi diagnosticada de epilepsia…ela só da a crise no começo do sono….ela começou tomando Tegretol e mais ou menos a cada mês dava uma crise só que demorada….e a médica trocou pelo Valpakine …na troca que foi diminuindo aos poucos o tegretol demorou 3 meses pra dar crise ….só que por este mes ela deu 4x com espaço de 4 dias bem rapida de mexer somente o brasinho esquerdo nós estamos preocupado a medica disse que ela esta na dosagem correta ..(1ml de 7:00 da manhã e 1,5ml as 19hs minha filha tem 12,5kg.)…Dr nós… principalmente minha esposa estou com medo dela até entrar em depressão….não dorme direito vou trabalhar e ela fica com nossa filha e na parte da tarde que ela da soninho minha esposa ja fica daque jeito……senhor sei que vai tempo para cura pois parece que o dela é beniguina ……mas queremos o controle total da crise …e não ficar dando com estes espaço curto de tempo …tem jeito Doutor

    • Olá jefferson,
      Imagino que você e sua esposa estão muito preocupados.
      Mas vocês estão fazendo tudo o que precisam. Sua filha está tendo tratamento e acompanhamento com médico.
      Vocês dão os remédios nas horas certas.
      É preciso seguir o tratamento e as orientações médicas para que sua filha fique bem.
      De resto é ter paciência e não perder a esperança. A maior chance é que ela viva uma vida normal com o tratamento certo.
      Força!

      abs
      Roger Soares

  • Meu filho teve a primeira crise com 8 meses, repetiu com 1ano3 fez eletrocefalograma e entrou com fenobatital. 1ano8 nova crise aumentou a medicação. Agora cm 2anos4 outra crise..obs ele é gêmeo 36s é todas as crises estava com febre mas medicado.o eletro deu alteração,as crises dele pode ser somente febril e curar com o amadurecimento do cérebro ou com o histórico possa ser epiléptico?

    • Olá Kellem

      Quando as crises febris se iniciam ainda no primeiro ano de vida, o risco de continuarem como epilepsia é mais alto. Além disso, se as crises pegaram apenas um lado do corpo a chance de ser epiléptico é ainda maior. Quando as crises são esporádicas e acontecem a partir do segundo ano, muitos médicos preferem não tratar. Mas no caso do seu filho, acho que foi bem indicado o tratamento. Continue acompanhando com o neuropediatra.
      Roger Soares

      • Boa noite, não sei se vai responder meu apelo mas sou uma mãe desorientada e sem mais saber o que fazer com o meu filho. Fico achando que hoje não existam mais médicos Interessados em curar o paciente com essa doença. As consultas são sempre sem muitas perguntas e sempre as mesmas coisa. Estou vendo a vida do meu filho passar e nenhuma novidade quanto a medicações e outras coisas. Fico todo o tempo tentando achar um hospital ou um médico que realmente se interessem pelo conhecimento dessa doença. Gostei imensamente do seu interesse em todos os comentários acima. Gostaria de relatar o caso do meu filho.
        Ele iniciou com 15 anos e hoje tem 27. Iniciou com cadernal e não se adaptou
        Logo trocou para a carbamazepina de 200 uma vez ao dia e depois duas vez ao dia e hoje está tomando 400 duas vez ao dia.
        Meu filho só tem as crises dormindo é isso me atormenta todo esse tempo. Se ele esquecer de tomar um dia anterior e mesmo que tome no dia certo ele tem uma crise.ele é um rapaz muito inteligente e ansioso e triste com a falta informação para essa doença.Essa semana ele foi a uma consulta depois de 6 meses e chegou dizendo que a médica nem olhou pra ele. Não passou nada de exames e acabou a consulta. Não podemos pagar um plano caro e só tem essa médica no plano que temos.
        Gostaria da sua ajuda se existe alguma medicação mais eficaz e com menos efeitos colaterais digo isso pois ele tem ausência de memória as vezes fica ansioso e essa semana que ele reclamou de falta de apetite sexual. Me ajude!
        Estamos no Rio de Janeiro e gostaria de uma indicação de algum hospital ou um médico como o senhor para me ajudar.
        Gostaria de ter uma medicação e uma avaliação de um médico que consiga ajudar meu filho. Muitos anos e sofrimento gostaria de poder dar isso a ele.
        Muito obrigada por seu trabalho ser maravilhoso e pode existir médicos como vc.

  • Boa noite, Dr. Minha filha começou há duas semanas dizer que estava vendo as coisas de
    longe balançando, e em menos de um minuto normalizava. Aconteceram uns 5 episódios: 3 em frente à tv (mesmo com a tv desligada) e 2 na quadra de esporte ao ar livre. Ela sempre foi uma criança saudável, nasceu de cesárea 40s semanas, 4kg e nunca teve nada. A neuro avaliou no consultório e ela está ótima. Pediu eletroencefalograma e deu atividade epileptiforme ocasional generalizada na parte
    posterior. A médica já indicou medicamento e disse que parece que corresponde a crise de ausência (embora ela nunca tenha tido, pois durante as distorções visuais que duram segundos ela continua normalmente suas atividades). Não é muito cedo para entrar com medicação? Não são necessários outros exames?

    • Olá Mari,

      Infelizmente é difícil eu comentar o caso sem ter visto sua filha e feito um exame detalhado.
      A consulta médica é importante para obter detalhes de história e procurar indícios que apontem para um diagnóstico correto.
      Uma vez confirmada a doença em questão, aí se inicia o tratamento.
      Realmente, pelo seu relato não sei dizer se sua filha tem epilepsia ou outro problema neurológico. Existem várias doenças que podem causar esse balanço da visão.
      Se quiser marcar uma consulta comigo, estou à disposição.

      atenciosamente,

      Roger Soares

      • Dr Roger minha filha começou com enjoos vomito e dor na barriga fez tudo quanto é exame ela toma remédio pra crises desde 7 anos tá com 24 como todos exames tão normal 2 médico já disse que pode ser os remedio será? Toma depakene 250mg
        Lamitor 50mg
        Frizium 20mg
        Clonazepan de 2 mg que
        O senhor acha ?

  • Olá
    Meu filho tem 6 anos e começou e a ter convulsões a 3 meses , ele fez o eletroencefalograma e deu epilepsia ele está tomando Depakene e clobazam e mesmo assim , ainda tem crises e ele também tem um tipo de espasmo ou uma crise curta não sei ao certo , é muito rápido ele está bem e do nada ele grita o olho vira e ele se desequilibra o neuro aumento a dosagem mais esses ” espasmos ” continuam , não sei o que fazer

    • Olá,

      O mais importante é ter uma boa classificação das crises. Se clinicamente e com o EEG não se tem dados suficientes, recomendamos a realização de um videoEEG.
      Uma vez feito o diagnóstico preciso do tipo de epilepsia, o caminho é utilizar as medicaçoes mais apropriadas para cada caso.
      Acho que ainda tem muito a se fazer pelo seu filho e se precisar de mim estou à disposição.
      O telefone do consultório é 11-3266-7024.

      Roger Soares

  • Olá doctor! Chamo-me Niusa, comecei a ter crises epiléticas em 2015, na altura tinha 15 anos. As convulsões passaram a ser mais frequentes em 2017 até 2018. Mas neste ano não são tão frequentes, as convulsões têm diminuído bastante. Será um sinal de que estou a ser curada da epilepsia?
    (Nunca fiz medicações)

    • Olá Niusa,
      Infelizmente fica difícil opinar sobre o seu caso.
      Procure um médico para verificar e confirmar seu diagnóstico de epilepsia.
      Caso seja confirmado, tome os medicamentos indicados regularmente.
      Não tratar coloca você em risco de ter alguma lesão no cérebro por causa das crises.

      abs
      Roger Soares

      • Olá Dr.
        Tenho um filho de 4 anos , ele está com crises de ausência e crise convulsiva
        Os exames não mostraram nada , ele está sendo medicado com depakene a dose já foi ajustada e ainda sim ele continua tendo as crises de ausência algumas vezes durante o dia e a convulsiva de 2 a 3 vezes no mês, o que o senhor acha q devo fazer?
        Desde já obrigada

        • Olá Michelle,

          A primeira coisa a fazer e verificar esse diagnóstico.
          Crianças com crise de ausência simples da infância geralmente apresentam uma alteração característica no eletroencefalograma. Essa alteração são descargas tipo “ponta-onda lenta a 3 Herz”.
          Se não encontraram isso no EEG, o exame foi mal feito ou o diagnóstico pode estar equivocado.
          Sugiro que traga seu filho em consulta para cuidarmos dele.
          O WhatsApp para marcação é 11-94022-9838.

          Atenciosamente,
          Roger Soares

    • Olá sou Iara Souza mãe do Ian Marcos , ele com uns 6 pra 7 anos começou ter umas ausências , não percebia nada pois a psicóloga da escola falou que era devter de atenção então achei que fosse mania dele revirar os olhos até reclameis algumas vezes , mais esse ano de 2020 ele já deu até agora 3 convulsões ,fiz eeg deu epelepcia com ele toma torval dev 1.500 3 vezes aí dia o senhor acha que ele tem chance de ser curado dessa doença?

  • Meu filho teve a primeira convulsão depois de caso grave de apendicite aguda e de lá pra cá fãs tratamento com depakebe já faz 2 anos e meio que não tem mais crise será que posso ficar tranquila que ele vai se curar disso agora ela está com 21 anos quando começou ela tinha 15 anos

    • As notícias parecem boas, Edna.
      O negócio é ter paciência e torcer para que ele não tenha nenhuma crise.
      Insista para que ele tenha sempre um sono regular e não beba álcool.

      att

      Roger Soares

      • Boa noite meu filho começou a dar crise aos 12anos a primeira vez foi muito assustador depois de 8mese deus a segunda depois de 1e 4meses deu a terceiro será q o medicamento que está tomando está fraco lamitor cd 25mg levei ao médico ele passou o mas um q é o depaquenia de 250 mg mandou tomar o depaquenia a noite e o lamitor de dia será que é forte hoje ele tem 14anos e a última que deu foi junho desse ano depaquenia vai começar a tomar ainda

  • EEG Digital e analise quantitativa (MAPEAMENTO CEREBRAL)alterado,evidenciando paroxismos frequentes de pontas, ondas agudas e poliponta-onda em ambos hemisferios cerebrais
    medico falou que estou com eplepsia leve.receitou carbamazepina
    é grave,tem cura.tenho 57 anos

    • Olá Davi,
      Não é possível emitir uma opinião sem ter visto seus exames e conversado com você.
      Se quiser que eu faça uma revisão do seu caso mesmo à distância, entre em contato com minha secretária pelo WhatsApp 11-94022-9838.

      abs

      Roger Soares

  • Olá Doutor,
    O meu filho começou a ter crise com 7 anos, teve algumas até q começou a tomar trileptal. Hoje ele está com 9 ano, e já não tem crises há 12 meses, o único problema é que ele tomar 1200mg por dia, e fica “lento” as vezes, com quanto tempo sem crises, o médico deverá começar a diminuir a dose?
    Obs: nós moramos no exterior e os médicos não são tão claros aqui

  • Olá Doutor,
    O meu filho de 9 anos, quando tinha 8 anos, teve um total de 7 crises em 3 meses, então começou a tomar a oxcarbazepina 600mg/dia, 2×300, ficou 6 meses sem ter crises, aí teve uma crise de 3 minutos daquelas que não responde, não fala, então o médico aumentou para 1200mg/dia, e desde então ele não teve mais crises, já são 12 meses sem crises. Ele joga futebol e treina jiu-jítsu, mas as vezes fica muito lento e fala enrolado, principalmente após tomar o remédio. O senhor acha q a partir de quanto tempo sem crises essa dose pode começar a ser menor? Passar de 600 para 1200 foi correto? Estamos no exterior e os médicos não são tão claros.
    O senhor acha q ele vai ser curado?
    Obrigado
    Igor

    • Olá Igor,

      Acredito que seria interessante fazer um teste no sangue para ver qual o nível da carbamazepina. mas para isso você precisará conversar com o médico que o está atendendo.
      Antes de pensar em tirar o remédio ou em cura, é preciso ter certeza que ele está totalmente sob controle e que não tem sinais de intoxicação pelos medicamentos.
      Peça para fazerem o exame de sangue.

      Abs
      Roger Soares

  • Meu nome e nadila.Meu filho teve sua primeira crise com 2 anos e 11 meses fez o EEG e no meio do exame ele sentiu a crise, depois ele foi medicado para que fosse acabando a crise msm desacordado com a crise e o efeito do sedativo o neuro pediu uma ressonância, e conseguimos fazer na mesma hora. Mas graças a Deus não deu nada. Mas ele foi diagostinado com epilepsia, ele está tratando com o depakene. Dia 5 de agosto de 2019 fez um 1 ano de tratamento com o remédio e graças a Deus não teve mais crises. Podemos ter esperança de que ele está se curando?
    Obs ele faz um gesto com as mãos como se tivesse muito ansioso o neuro disse que é normal que com o tempo ele não faz mas isso será que isso é devido ao problema?
    muito obrigado.

    • Tem muito boas possibilidades!
      tomara que ele continue sem crises e depois de 5 anos sem elas, possa suspender as medicações.
      Sempre siga os conselhos do seu médico.

      att

      Roger Soares

  • Bom dia,meu nome é Roberta, tive meningite aos 16 anos,e a sequela foi as convulsões q tenho,hoje estou com 45 anos,e continuo tendo,as vezes fico tempo sem ter,mas as vezes tenho 2 crises no mesmo mês, tomo 1 gardenal por noite,acha q ainda posso ter cura,por não ter nascido com esse problema, obrigada.

    • Olá Roberta,

      Em casos de epilepsia secundária a meningite, a chance de ficar sem remédio é pequena.
      Mas tem algo muito mais sério no seu caso!
      Você está tomando um remédio inadequado para você porque mesmo com tratamento está tendo crises.
      isso é muito perigoso!
      O correto é trocar sua medicação por uma que segure commpletamente as crises e não cause os problemas que o Gardenal pode dar.
      para marcar consulta, entre em contato pelos números 11-940229838 ou 11-32667024.

      abs

      Roger Soares

  • Olá doutor…estava procurando respostas na internet e cheguei à sua página.
    Aos 18 anos tive uma convulsão muito forte depois de jogar bola na rua.
    Iniciei um tratamento e comecei a ter sensações diferentes, ia de um sentimento de saudade a uma sensação de prazer ou tristeza profunda. Pegava da barriga pra cima e terminava virando os olhos e retorcendo o corpo.
    Passado o tempo, meu corpo passou a andar ou fazer movimentos estranhos durante as crises. Eu não me lembrava do que acontecia…Perdi meu emprego por uma dessas crises que só evoluiram e as pessoas comentavam que eu estava incorporando alguma entidade.
    As crises eram frequentes, mesmo tomando a medicação…tive as crises de todas as formas,até mesmo a interna que dava até mesmo ao ouvir uma música e durante 25 anos, foram apenas 4 desmaios.
    Um fato curioso é que mais acontece em ônibus cheio…meu corpo perde a consciência e sai andando dentro do ônibus…
    Por muitas vezes minha consciência acordou e meu corpo estava em pé no quarto conversando…ouvindo vozes… ( já procurei ajuda espiritual e nada )
    Em crise cheguei a andar 4 km durante a madrugada….
    Já são 25 anos com essa agonia que não tem fim…
    acabei de perder outro emprego,após ser promovido…
    Isso não tem cura ?
    Obrigado !

    • Olá Waderson,
      Imagino que tem sido uma luta para você conviver com esses sintomas. Pessoas leigas podem ter dificuldade em entender o que você passa e até achar que é algo espiritual.
      Entretanto, com os exames adequados é possível fazer um diagnóstico mais preciso. Dependendo dos achados, existe tratamento para controlar completamente seu problema.
      Para marcar uma consulta, entre em contato pelos telefones 11-32667024 ou 11-940229838.
      Vamos lhe ajudar a viver uma vida normal.

      abs

      Roger Soares

      • Olá sou Kelly
        Eu comecei a sentir crises com 13 anos até 14anos eu tomei remédios já tenho 26anos e já tenho 13 anos ke já não sinto nada e agora o meu médico já parou os remédios eu tenho jasse de sentir crises de novo?

  • Oi me chamo Elisabete e tenho epilepcia des que tinha 6 anos, foi muito dicil para mim no começo, pois praticamente todos os dias tinha uma crise convulsiva , ja cheguei ficar no hospital 1mes e nesse período ainda fiquei 3 dias em coma,demorei ate para reconhecer meus pais, hoje tenho 30 anos estou com as crise controladas, mas fui diagnosticada com epilepsia de difícil controle, tem cura no meu caso?
    Obrigada

  • Meu filho teve crises convulsão aos sete anos isoladas tomava medicação aos doze anos teve várias crises epileticas hoje com dezenove anos tem dificuldade na leitura por conta memória tem discreta ma rotação no hipocampo esquerdo ele é muito mal humorado grosso parece nem ter sentimento tem algum remédio para memória.

  • Meu filho tem 8meses começou ter crises com 3meses fez todos os exames deram normais as convulsoes dele e sem febre porque os testados dos exames deram normais se ele tem crises

      • Para ser considerado curado, tem que ter mais de 10 anos sem crise, sendo ao menos 5 anos sem remédio e sem crise.
        Então, caso você esteja curado, você pode beber álcool,
        Todavia, recomendo moderação porque o álcool em excesso pode causar uma convulsão mesmo em quem não tem epilepsia.
        No seu caso, todo cuidado é pouco.

        atenciosamente,

        Roger soares

  • Oi
    Meu bebê teve crises focais com 27 dias de nascido
    Foi internado fez todos os tipos de exames e não deu nada Mas o médico disse pra tomar o fenobarbital até os dois anos
    Só que toda vez que ele dorme ele continua tendo as crises bem leve mais tem
    Já fez dois elétros e não apresenta nada
    Será que essa é a medicação correta
    Ele vai fazer um ano mês que vem
    Já tem 10 meses que ele toma fenobarbital

    • Infelizmente não posso opinar sobre esse caso. Seria necessário examinar a criança, ver o EEG, a RNM etc.
      Converse sobre suas dúvidas com seu médico e se tiver ainda algum questionamento, procure uma segunda opinião.

      att

      Roger Soares

  • Olá Doutor! Meu nome é Alice. Minha primeira crise foi quando tinha 8 meses de idade e meus pais não me levaram ao médico. Me lembro quando criança sentia aquelas vertigens o dia todo. Quando me tornei adulta consultei um neurologista e fui diagnosticada com neurocisticercose. Comecei a tomar Gardenal toda a noite, e agora faz quase 20 anos que não tenho convulsão. Minha médica está querendo tirar o remédio, mas tenho muito medo principalmente porque dirijo. E também meu médico do Brasil já havia dito que preciso tomar remédio para o resto da vida. Por favor de sua opinião. Desde já agradeço.

    • oi Alice,

      Seu caso é delicado mesmo.
      Já faz tempo que você não tem crises e seria possível suspender o remédio.
      Por outro lado, se você tem lesões de cisticercose no cérebro, você sempre terá um risco de crises.
      O que eu faria é: se você está muito bem com o Gardenal e ele não lhe traz nenhum problema, vale mais a pena continuar o tratamento.
      Mas essa é apenas a minha opinião de bom senso, sem ter lhe conhecido ou avaliado os exames…
      Espero que você fique bem.

      Atenciosamente,

      Roger Soares

  • Olá Dr.
    Meu pai iniciou suas crises convulsivas no inicio deste ano. Ele já tem 63 anos e usa colostomia.
    Ele faz uso do hidantal e a cada 2 meses tem uma crise convulsiva mesmo com uso dos medicamentos.
    Alguns medicos já disseram que pode ser um tumor celebral, falta de vitaminas, excesso de medicamentos.
    E para piorar ele não esta se alimentando direito, já perdeu muito peso e foi passado uma medicação para abrir o apetite só que, esse remédio corta o efeito do hidantal. Qual seria o melhor remédio para abrir o apetite que não prejudique o hidantal? E no caso das crises convulsivas, ele tem chances de cura?
    obrigada!

    • Olá Fabiany,

      A primeira coisa a fazer é levar a um neurologista e fazer uma ressonância do crânio.
      Se tiver algum tumor ou qualquer outro problema, vai aparecer.
      Além disso, os exames de sangue são necessários, para entender se tem algo a mais.
      Então somente depois que se fizer um diagnóstico completo é que dá para falar em chances de cura.

      atenciosamente,

      Roger Soares

  • Olá Dr
    Tenho crises de epilepsia desde os 9 anos, mas só comecei a fazer um tratamento aos meus 20 anos. Faço uso do carbamazepina 3 vezes ao dia e já vai fazer um ano que estou em tratamento, mas de um mês para outro eu sinto um incômodo rápido de lembrar do que estava fazendo, ae eu sinto isso uns 3 dias e depois não sinto mais. O que pode ser esses incomodos que eu sinto?

    • Esses incômodos podem ser crises.
      O melhor a fazer é ir no seu médico e contar o que está acontecendo.
      Será necessário um ajuste no seu tratamento.

      att

      Roger Soares

  • Boa noite, meu esposo tem crises convulsivas faz mais de 3 anos em algumas das crises ele ficou totalmente agressivo, e mesmo tomando a medicação Keppra 250mg 3x ao dia, continua tendo, todo mês ele tem alguma crise, e ultimamente tá tendo crise no intervalo de 15/15 dias. O que pode está acontecendo ?

    • A dose máxima do Keppra é 1,5g 12/12hs. Talvez a dose atual dele esteja insuficiente.
      Converse com o médico que o acompanha.

      atenciosamente,

      Roger Soares

    • Oi a minha primeira crise foi aos 10 anos de idade, minha mãe pensou qui isso não ia se agravar hj tenho 23 anos minhas crises eu considero fracas porquê são passageiras i mais mesmo eu sabendo qui pra mim a doença não me afeta muito e difícil conseguir empregos sendo epilético

  • Olá, Boa tarde! Dr. , aos 13 anos tive uma crise convulsiva, fiz exames não deu nada, mesmo assim tomei um medicamento por um tempo e parei, e não sentir mais nada, depois de 4 anos com a perda de meu avô, tive outra crise, ai desse dia comecei a sentir sempre crises de ausências, e varias outras crise convulsiva, fiz novamente outros exames e não deu nada, mesmo assim a Dr. passou uns medicamentos pra mim tomar. 2 anos se passaram a crises convulsiva melhorou, mas as ausências não muito, só melhorou um pouco, parou de vim todos os dias, eu sinto mais ela quando estou nervosa, estressada ou ansiosa. Eu gostaria de saber, se essas ausências minhas tem cura?

    • Olá Dr. Comecei a ter crises de ausência aos 6 anos de idade. Desde então nunca me tratei, minha família e eu nunca sabíamos ao certo o que eu tinha… Pensavamos que fosse uma queda de pressão, ou coisa do tipo.
      Somente quando aos 17 anos veio o diagnóstico. Comecei a fazer uso dos medicamentos, mas não me adequei com nenhum, e por isso resolvi suspender a medicação por conta própria. Um erro gravíssimo.
      Agora aos 21 anos de idade, mais madura, comecei novamente o tratamento, desta vez pra valer. Estou fazendo o uso do Depakote ER 250mg e estou me adaptando. Faz 3 meses que comecei com a medicação, e há 1 mês que não sinto mais nenhuma crise. É possível que quanto mais cedo começar o tratamento maior a chance de cura?

      Desde já obrigada:)

  • Dr, minha irmã começou a ter crises convulsivas/epilepsia com 18 anos. Primeiras crises ficamos assustados, levávamos ao hospital, ela recebia medicamento IV e continuávamos o tratamento em casa. Fez todos os tipos de exames (tomografia, ressonância, eletroencefalograma, laboratoriais, …) e todos normais. Nenhum dos medicamentos teve a sorte de parar as crises, sendo que na maioria dos medicamentos chegaram até a dose máxima! Ela começou com Hidantal, depois Tegretol, depois Depakote em várias dosagens até ter toxicidade no organismo e trocarmos novamente, por último agora está fazendo uso de Keppra com dose de 1,5 g de 12/12 horas e ainda sim apresenta crises a cada 10-15 dias com a mesma duração e intensidade das primeiras, desde sempre! Não sabemos como proceder, o máximo de tempo sem crise foram 3 semanas desde a primeira. Já faz pouco mais de um ano nessa mesma história!
    Obrigada

    • Olá Elen,

      Gostaria muito de ver sua irmã.
      Em especial, acho que ela precisa fazer um diagnóstico mais preciso.
      Vamos conversar em pvt por email.

      Atenciosamente,

      Roger Soares

    • Olá Doutor Roger Soares
      Em 2009 fiz uma cirurgia para retirada de um tumor no cérebro, que foi diagnosticado na biópsia como criptococose cerebral. Após cirurgia passei a fazer uso de hidantal de 200mg de 12 em 12 horas. No hospital tive 2 convulsões.
      Quando foi em 2015 o medicamento foi retirado de forma abrupta,sem desmame e eu tive uma convulsão uma semana após a retirada.
      Procurei outro médico e ele solicitou ressonância, fiz e levei. Ele introduziu a carbamazepina de 12 em 12 horas e não tive mais crise nenhuma. Faz 5 anos que estou super bem.
      Recentemente retornei para revisão e um novo profissional me atendeu, solicitando eletroencefalograma. Fiz o exame e deu dentro dos parâmetros da normalidade.
      Ele prescreveu o desmame do medicamento.
      Será que estou curada? Tenho muito medo de ter novas crises sem o medicamento. Tenho uma vida normal ,trabalho 2 turnos por dia como professora.

  • Bom dia doutor meu nome é everton,comecei a ter crises com 14 anos hoje no entanto estou com 31 desde a primeira vez que aconteceu fui buscar um médico só que ele receitou GARDENAL,quando eu estava com 16 anos procurei outro médico e me disse que eu estava tomando o remédio errado quero saber se por causa do erro desse médico tenho chance de cura,hoje tomo os medicamentos certos mais ainda continua acontecendo as crises não é sempre mais de 2 a 3 meses

  • Meu filho apresentou a primeira crise com 11 anos crise de ausência fiquei sem saber o q acontecia com ele mad em seguida ao acordar para ir a escola teve mesmo nada uma outra onde ele torcia o pescoço n conseguia falar e fazia gestos com a boca durante 3 anos a neuropediatra iniciou o tratamento com depacote depois lamotrigina e agora com as crises mais frequentes8 em8dias ela mudou associou lamotrigina com carbamazepina fiz 3 eletrocefalograma1 ressonância e ñ deu nada fiz tbm um vídeo q mostrava durante o sono dele vários monumentos involuntários durante o período inicial do sono..me ajude a entender se isso vai ter cura

  • Olá, dr. Boa noite. Tive minha primeira crise ano passado, aos 33 anos. Durante o ano de 2019 tive 4 crises tônico clonicas, hoje tomo Oxcarbazepina e minha última crise foi em setembro. Meus exames todos dão normais. Tenho muita saudade de poder tomar minha cervejinha com os amigos no fds e já vi que a díade álcool e epilepsia nao é um consenso na neurologia. Alguns dizem que o álcool em si nao provoca as crises, mas sim a má qualidade do sono que ocorre quando bebemos. O que vc acha a respeito? Muito obrigada!

  • Oi eu tenho 21 anos eu tenho epilepsia eu nasci assim tive minha primeira convulsão com 1 ano depois disso eu tive mais 5 e até hoje com 21 anos tomo o remédio fernobabital e eu não posso para de tomar o medicamento se não eu do crise então eu fiz um exame meu constou que eu tinha lesão no celebro e ano passado eu fiz outro exame e constou que estava normal.Gostaria da saber se eu estou certa em continuar com o medicamento?

    • Eu nasci com epilepsia tive minha primeira consulvao com 1 ano minha mãe usou drogas eu não sei mais nasci com isso desde então tomo medicamento até hj com 21 anos em 2015 fiz uma ressonância e constou que eu tinha uma lesão no celebro e depois da minha primeira consulvao time mais 5 esse ano passado eu fiz outro exame e constou TD normal e ainda continuo todo remédio como faz 5 anos que não dou crise eu parei de tomar a medicação mais logo depois entrei em crise isso significa que eu tenha que tomar por resto da minha vida?

  • Boa tarde Dr.

    Minha mãe foi diagnosticada aos 46 anos com epilepsia, desde lá já se passaram 10 anos. Neste tempo ela teve no máximo 8 crises convulsivas (debatendo) e vários episódios de ausência de memória que duram de 3 a 10 minutos. Ela faz uso de oxcarbazepina 1500mg/dia, não tem tido crise convulsiva, porém tem apresentado um comportamento estranhos, conversas sem sentido, fora do contexto, momentos muito eufóricos totalmente diferente do humor nato dela, a impressão que passa é que faz as coisas sem raciocinar, as vezes temos que ditar passo a passo de atividades obvia para ela executar. Esse comportamento é bem diferente do que ela sempre foi, muito inteligente, ativa, resolutiva. O medicamento pode estar causando tal comportamento? Ou pode ser outro problema?
    PS: Os exames (Tomografia, ressonância, EEG) sempre normais.

  • Boa tarde,
    eu nasci com convulsão seguido por ataque epileptico.. até meus 10 anos fiz o tratamento com o “gardenal” e durante 2 anos foi diminuindo as gotas gradativamente até nao precisar tomar mais nada..
    hoje eu tenho 23 anos e nunca mais tive alguma crise, porém os medicos falaram para meus pais que eu nunca poderia me estressar muito, porque a convulsão estava ali, mas estava “dormindo”.. que ela poderia voltar a qualquer momento.. isso é verdade? ainda tem possibilidades dela voltar?

  • Oi.Em 2012 tive meu primeiro filho depois de 4 dias voltei para o hospital com dores de cabeça por causa da pressão alta…tive eclampsia PÔS PARTO e tive 1 convulsão..
    Em 2015 tive meu 3 filho tive Pré eclampsia mas tomei remédio para a pressão e nao tive nenhuma convulsão.
    Por último em 2018 tive meu 3 e ultimo filho pois fiz laqueadura,so que dessa vez tive pressão alta e uma forte dor de cabeça tbm com 4 dias depois que ganhei nenê tive 6 convulsões novamente eclampsia PÔS parto..sai do hospital tomando Fenetoina e nunca mais tive crise nenhuma..agora meu neuro disse pra mim ir parando de tomar pois fiz exame de sangue e eu estava com 4,4 de fenetoina no sangue,e ele disse que pra combater as convulsões precisava de no mínimo 10,0 de fenetouna no sangue..estou largando aos poucos.
    Será que tem alguma possibilidade de eu voltar a ter convulsões novamente e ser diagnosticada como epiléptica novamente?
    Pois no ultimo eletroencefolograma nao apareceu mais nada?!

  • Boa noite doutor, meu marido começou a ter crises convulsivas durante o sono devido a um acidente de moto quando tinha 30 anos, ficou com uma bolha de água no cérebro, desde de então, Sempre tomou gardenal, há 4 anos não tem tido mais a crise, porém está tendo relapso de memória, fica olhando pra um lugar fixando os olhos, diz que é como se estivesse em outra vida, tem alteração de humor e não tem mais paciência com nada, hoje ele tem 44. Estou preocupada, será que ele está tendo isso devido dormir pouco, pois no momento está trabalhando a noite? Obrigada

  • Bom dia,
    Em 2007 tive um desmaio que nao lembro de muitas coisas somente de ver aquelas estrelinhas coloridas, fiz varios exames e nao encontraram nda, 9 anos depois em 2016 tive uma crise de ausencia fiz varios exames e nao econtraram nda, em setembro de 2018 tive uma crise convulsiva, nessa epoca estava tomando remedio pra dor pois havia quebrado a cabeça do radio do cotovelo e tive mta dor de cabeça um dia antes da crise e antes dela tb e tomei alguns remedio pra dor de cabeça tb como torcilax, dipirona, neosaldina, e havia ingerido uma grande quantidade de alcool um dia antes da crise tb, estava passando por um momento de mta ansiedade e estresse nessa ultima crise, por nao dar nda nos exames esses fatores podem ter sido o gatilho para a crise, nunca mais tive nda

  • Bom dia Dr.
    Minha filha teve diagnostico de eplipsia focal, tratada com carbamazepina 3x ao dia 7,5 ml (total 22,5ml/dia), porém ouve aumento de frequência da extensão dos paroxismos em comparação ao exame eletroencefalograma anterior. A medicação não tem sido eficiente? deve se trocar o diagnostico da doença? Ou devemos trocar a medicação.
    Ela está usando a carbamazepina a mais ou menos uns 4 meses.

  • Olá, Sou a Gabi, bom… Quando eu tive a primeira crise foi quando eu tinha 1 ano de idade (sendo que tem casos na minha família) até os meus 12 sempre tomei remédios, sempre trocava pq não funcionava. Quando eu fiz 13 anos as crises que eu tinha antes começaram a diminuir, então eu parei de tomar remédio, pq como minha família é muito religiosa colocaram na cabeça que eu estava curado, até aí legal, mas hoje tenho 20 anos e nunca mais tive crises como antes(pq eram bem pesadas mesmo). Só que eu sinto ainda uma tremedeira no corpo, fico soando frio, dá uma vontade imensa de dormir, aí eu pego fico de frente ao ventilador e, coloco sal na boca. E ah, se eu não me sentar ou deitar eu caio, eu te Ho muito medo de ter isso novamente! Quando eu fico muito nervosa eu começa a me tremer, tremer tudo! Aí eu faço isso… Quero saber se eu te Ho chances de voltar as crises de quando eu era criança!?

  • Dr., meu pai teve uma convulsão há 8 meses, quando teve m AVC. Agora ele teve uma nova convulsão, mas sem quadro de AVC. O médico que prestou socorro medicou Fenitoina 3x ao dia e Fenorbabital 1x ao dia. Ele estava sentindo muitos efeitos colaterais, levamos ao Neurologista que tirou o Fenitoina e manteve apenas o outro. Como essa redução pode ser feita? Devo tirar um comprimido por dia?

  • Boa noite, meu nome é Rodrigo.

    Tenho 37 anos e faço uso de gardenal desde o início da adolescência. Na minha última consulta com o neurologista, isso tem mais de dez anos, ele sugeriu tentar retirar o medicamento gradualmente. Confesso que não tive coragem. E se eu tiver uma crise dirigindo? Ou numa escada?

    Por outro lado, o gardenal tem alterado minha GGT nos últimos anos e sei que isso é comprovadamente ruim no longo prazo.

    Minha pergunta – existe algum exame que permita saber com segurança se o problema continua lá? Ou retirar medicamento é um lance de sorte?

  • Boa noite Dr.
    Meu nome é Ellen.
    Meu filho teve uma convulsão febril quando tinha 8 meses. Fizemos exames e descobri que ele estava com uma infecção urinaria muito forte.
    No mês seguinte,ele ainda estava tomando antibióticos para a infecção,porem não tinha febre, e teve duas crises de ausência em casa,ai levamos para o hospital e lá ele teve outra convulsão.
    O medico diagnosticou como Epilepsia e apartir dai ele toma Gardenal.
    Já consultamos com uns 3 neuros diferentes,no começo surgiu a possibilidade de ele ser autista, mas na ultima consulta a neuro descartou tal possibilidade.
    Ele ja fez RNM,Tomografia,EEG , mas em nenhum exame deu nada. Agora ele esta com 3 anos e 8 meses, desde que começou tomar remédio não teve mais nenhuma crise convulsiva e nem de ausência. Na ultima consulta a Neuro pediu pra irmos tirando a medicação dele gradativamente, diminuindo 5 gotas por semana. Ele estava tomando 45 gotas a noite,e hoje começamos com 25 gotas (entramos na quarta semana).
    Pelo meu meu esposo nos continuávamos por mais um tempo com o tratamento,mas eu estava muito ansiosa pra retirada da medicação.
    Me da a sua opinião por favor…. sera que ele corre muito risco de ter crise ainda? Eu tenho muito medo que isso aconteça e possa prejudicar ele .

    Agradeço desde já pela sua resposta.

  • olá, Dr. Roger Soares, Bom dia!
    Me chamo Thayanne Hora, tenho 26 anos e tive 2 crises convulsivas na vida, a primeira no dia 23 de dezembro de 2019 e a segunda ontem dia 14 de junho 2020. Após a primeira crise eu fiz ressonância magnética do crânio com resultado normal, com isso a médica suspendeu a Fenitoina, mas com essa segunda crise ela voltou a passar o mesmo medicamento 2x ao dia 100mg. É possível que eu tenha epilepsia agora ?
    No meu caso posso ter chances de cura?
    Desde ja estou grata! Deus te abençoe.

    • Olá Thayanne,

      Como você teve duas crises convulsivas não provocadas, você pode ser diagnosticada com Epilepsia.
      Você agora precisa ficar 5 anos sem crise e mais 5 anos sem crise e sem remédio para ser considerada curada.
      Considerando que voce teve sua primeira crise já na fase adulta, a chance de cura é um pouco menor, mas ainda existe.
      Siga com um tratamento medicamentoso eficaz e pense que o mais importante é ficar com as crises totalmente sob controle.
      Se quiser uma opinião mais detalhada, podemos fazer uma consulta à distância e assumir seu tratamento.
      O Whatsapp da minha secretária, a VAnessa, é 11-94022-9838.

      Força e fé!

      Roger Soares

      • Doutor, tive uma convulsão em 2016 logo após tomar um medicamento chamado sertralina em sua dose máxima e em 2018 tive novamente imediatamente após tomar 1g de tramadol e 1g de dipirona intravenosa.
        Nunca tive antes e nunca se repetiu. Será que pode ser epilepsia e as medicações foram apenas coincidência?

    • Bom dia doutor,minha filha teve crise convulsivo com 16 anos e no mesmo dia teve várias crises tomou medicamentos mais mesmo assim ainda teve várias crises nunca dia so,chegando a ser colocada em coma induzido pra proteger o cérebro,hj tem um ano que isso aconteceu e ela ainda continua tendo crises,antes era duas crises por dia sempre dormindo ,agora tem uma vez no mes e acordada,ela toma 3 anticonvulsivo lamotrigina 100g,clobaza 10g eo valproato de sódio 500mg

  • Meu sobrinho teve um febre alta aos 14 anos, convulsionou levei correndo para o médico, nos exames estava com leucopenia. ( 1200 de leucócitos)
    Saiu de alta após um mês e vários exames com leuco de 1800 com encaminhamento p/ hemato.
    Não souberem claramente dar definições.
    Hje toma 1500 de depakene.esta com 30 anos. E apresenta crises as vezes espaça até 6 meses ou mais.
    Teve uma em janeiro.
    Segundo neurologista exames normais.
    Esses. E quais exames e tempo devem ser repetidos.
    Agradeço muitíssimo a bondade e caridade de nos aliviar a angústia.
    Deus te abençoe.

  • Oi meu irmão teve um avc ele tem crises convulsões est em tratamento c depakene foi alimentada a dosagem 2 comprei d 500 mas mesmo assim aind continua tendo crises o q será q está acontecendo depakene era p evitar ele t convulsiva m ajuda

  • ola tudo bem sou daniel queria fazer uma perguta tenho crises de convusao a noite quando estou dormindo geralmete demora umas 2 semanas ou 1 semana pra dar outra crise sabe e essas crises geralmente dura 30 segundos e acordo de amanha como se nada tivese acontecido sabe minha mae que mefala que tive convusao fiquei batendo a perna tremendo e fiquei asustado com isso porque sou atleta sou jogador de futebol fiquei com medo de prejudicar meu cerebro com essas crises sabe porque quando era mais novo fiz izames mais de 1 vez e nos izames nao mostrou que tenho eplepcia sabe queria saber se essas crizes estao destruindo meu cerebro

  • Olá, me chamo Flávia, fui diagnosticada com epilepsia aos 17 anos, fui controlada com fenobarbital de 100 mg, faz quase 6 anos que não tenho uma crise, apenas 3 episódios de auras que são super rápidas, sempre faço exames, e nunca dá nada, minha mãe teve epilepsia na adolescência, e meu irmão mais novo na infância, ambos se curaram, minha pergunta é, se meus exames estão normais, e minhas crises estão super controladas, exite a possibilidade de um dia elas cessarem? E sobre minhas auras, preciso ajustar minha medicação pra que eu não tenha mais elas?
    Grata.

  • Boa tarde, Doutor,

    Meu esposo tem diabetes tipo 1, pelo que a mãe dele me contou, no começo da doença quando ele tinha 8 anos, de tempos em tempos ele tinha crise de hipoglicemia o que acarretava em crises noturnas, ele começava a se debater perdia a consciência e babava, inclusive já teve um episódio de por sangue pela boca, não reconhecia ninguém no momento e quando se recuperava não se recordava do ocorrido,
    Desde quando nos casamos, há 12 anos, ele teve 3 crises onde o leve ao médico, na primeira ele mesmo conseguiu se levantar e comer alguma coisa, então de certa forma sua consciência foi parcialmente recuperada, outras crises leve de hipoglicemia eu consegui controlar com sachê de glicose líquida não evoluindo os sintomas.
    Ocorre que segunda crise foi bem intensa, primeiro ele ficou de olhos abertos com o rosto pálido olhando para o nada, dei o sachê de glicose e não adiantou, ele olhava para fim e parecia que estava vendo um monstro/ficava assustado, depois começou a gritar e espumar pela boca, fica branco e gelado e com os lábios roxos, com a aparência de morto e por último ainda espumando roncado do nada ficou quieto, nessa segunda vez ele se recuperou rápido e apesar do grande susto voltamos para casa.
    O que me preocupada e sua ultima crise (terceira) com um intervalo de aproximadamente 5/6 anos, que ocorreu na última sexta 18/09/2020, os sintomas foram bem parecido com anterior, exceto por um detalhe ou outro, O QUE me faz SUSPEITAR que na verdade seu PROBLEMA NÃO É APENAS HIPOGLICEMIA, quando logo quando chegamos sua glicose já estava 144 (não estava baixa), pois pouco antes dos sintomas evoluírem dei açúcar a ele, ELE NÃO RECURAVA OS SENTIDOS, sua fala ficou comprometida, falava parte correto e parte totalmente enrolado, não reconhecia nada, os médicos precisaram o amarrar e o sedar, e isso era 6h40 +-, ele teve um apagão muito brusco foi no banheiro, conversou fez uma bateria de exames não se lembra de nada e isso já era quase 13h, e até no outro dia ainda não estava muito bem parecia meio aéreo e bem indisposto, o médico clinico geral disse que aqueles sintomas não era mais de hipoglicemia.
    O senhor acha que seria possivelmente um quadro de epilepsia/convulsão, estou morrendo de medo de ocorrer novamente!!

  • Oi Dr. Meu nome e Aline tomo o remédio topiramato 100mg tenho epelepsia desde que crianca, meu pai tinha . Não tenho crises .

    Mas se passo alguns dias sem remédios minhas mãos comessa a treme . Queria saber se tenho cura

  • Tenho epilepsia desde os 10 anos (hoje tenho 38). Sempre fiz uso do fenobarbital e minha última crise tem 10 anos (e ocorreu por uma tentativa de troca de medicamento).

    Meu neuro me pediu um EEG e disse que talvez possamos começar a pensar em tirar o medicamento.

    Doutor, do ponto do vista científico, um EEG, qualquer que seja o resultado, pode lhe dizer que a epilepsia se foi? Um paciente ainda portador da doença pode apresentar um EEG normal? A única maneira de descobrir se uma retirada vai dar certo é tentando?

  • o uso de bebidas alcoolicas pode ser considerado um desencadeador de uma convulsão?

  • Boa noite Dr. Roger! Meu filho foi diagnosticado com epilepsia rolandica, ele teve a primeira crise com 7 anos, com 8 anos teve outra, com 11 anos teve e agora com 12 anos, teve a crise em 02/10/2020 as 9 horas da manhã, ele faz uso de depake 250 mg 3 compridos ao dia, as crises sempre acontecem em sono. Gostaria de saber se tem cura, a médica disse que normalmente a criança tem duas crises em sua vida toda, até o amadurecimento do cérebro, ele teve 4 crises, estou preocupada, ele dorme tarde e fica muito no celular isso prejudica. Meu outro filho tinha o mesmo problema e fazia uso de trileptal e hoje tem mais de 6 anos sem crise e a médica tirou a medicação. Queria dar o mesmo remédio a ele, mas o médico não mudou. Gostaria de sua opinião. Desde já agradeço.

  • Bom dia Dr.minha filha começou a ter crises severas com 2 anos e 3 meses teve 13 crises passava de 30 a 40 minutos em crise teve parada respiratória triturou o hipocampo tomou tegretol continuou ter crises mudou para o depakote tomava 10 cápsula de 125 mg por dia fez o tratamento por dez anos com 12 anos fez o desmame hj ela tem 22 anos mais precisa de terapia o tempo td atingiu muito a aprendizagem e ela parece criança será que ela ainda tem epilepsia

  • Olá doutor boa madrugada tenho 25 anos e em 2003 aos 8anos me senti mal e ao ser levada a Santa casa de misericórdia fui medicada por uma enfermeira com um medicamento ao qual sou alérgica. Tive 7 convulsões cheguei a ficar na uti fiz tratamento com o fenobarbital por um ano e Há 3 anos atrás fui diagnosticada com esclerose mesial temporal, faço uso de ácido valproico em baixa quantidade mas só em 2020 já são ao todo 5 crises com intervalos de 2 e 3 meses. Creio que estou perdendo o limiar de aviso como posso proceder seria meu caso epilepsia refratária? e se sim a cirurgia seria o melhor?

  • Boa noite
    Minha filha começou as crises convulsivas aos 07 anos,os exemes.mostraram um tumorzinho benigno,frontal a direita ,foi feito Vídeo EEG e comprovou que o foco vinha frontal a direita .
    Foi feita a cirurgia, o sódio ficou baixo 123 e pós cirúrgico teve crises e tipo alucinações ,na emergência aplicaram diazepan venoso por 2 vezes e hidantal, é não passou as crises, quando saiu o resultado do exame de sangue e fizeram a reposição do sódio as crises parram em minutos, issonor duas vezes.
    A Dra suspendeu a Sertralina e o Trileptal e estamos entrando com Lacotem.
    Mas não sei como retirar esse Trileptal e entra com o Lacotem.
    Nessa pandemia não consigo consulta com a Dra.
    OBRIGADA

  • Boa noite doutor. Minha esposa a 1 ano e meio teve a primeira crise de epilepsia, ela tinha 38 anos. Procuramos um neuro e começamos o tratamento com a medicação AMATO de 50. Depois de 1 ano sem crise, ela voltou a ter mais 2 crises. O senhor acha que o medicamento que ela esta tomando é correto? Ja fizemos varios exames como mapeamento e tomografia e todos acusaram normais. Como devemos prosseguir doutor? Grande abraço.

  • olá dr, boa noite
    minha filha tem 4 anos e um fim de semana que passou na casa do pai, ficou estressada com algumas situações e dormiu chorando.
    dormindo ainda começou a vomitar e não acordou, o pai relatou que parecia crises de convulsão,
    foi para o hospital e lá chegou a ficar consciente e com as medicações ficou inconsciente, a medica supestou de intoxicação e entrou com vários medicamentos.

    quando cheguei no hospital ela estava na sala de emergiencia, em seguida foi para um quarto , ela estava com o olhar vazio com a cabeça virada para a direita, depois de uns 40 min se mexeu e fui até a cama dela , ela segurou minha mão e logo em seguida seus braços e pernas começaram a enrijecer e ela fez xixi em seguida , foi medicada e depois de uns 40 min ocoreu novamente esse episódio .

    ficamos um dia no hospital, no outro dia ela estava estável e foi liberada com a medicação de fenobarbital 72 gotas à noite .

    a médica disse para investigarmos pois era possivelmente epilepsia infantil .

    levei ela no neuro, ele leu o histórico de alta dela e ouviu meu relato e fechou o dignótico como epilepsia infantil .

    é assim mesmo que determina a doença ? todos os exames ela fez, e deu normal .

    minha dúvida é se pode ser considerado epilepsia infantil nesse quadro que se passou? foi bem grave as crises que ela teve .
    e se o estresse pode ter gerado a doença nela ?

    dede já agradeço.

  • Olá dr eu tenho 59 anos e comecei à ter convulsões em 2014 já fiz todo tipo de tratamento e não melhoro de 30 em 30 dias tem às tais convulsões não sei o que fazer consultei com vários neurologistas

  • Doutor !

    Meu nome é Adriano. Tenho 35 anos e e minha primeira crise foi em 2008. Atualmente tomo lamotrigina, topiramato e clobazam. Estou sempre tendo umas três crises de ausência por mês. Situações muito esquisitas (já passei do terminal do ônibus, desci e voltei para a casa e só depois comecei a me lembrar um pouco). Já fiz dois VídeoEEG, um PET-SCAN e nada é encontrado que possa direcionar uma cirurgia ou outro tratamento que não seja o medicamentoso. Além do mais, já tomei todos os remédios que podia.
    Uma coisa eu sei. Algumas crises de ausência ocorrem quando fico estressado.

    O que você acha do VNS para o meu caso?

    Obrigado !

  • Oi fiz uma cirurgia de meningioma e desde então faço uso de oxcarbamazepina,n tive mais convulsão,estava desmamando o remédio e comecei a sentir um queimor na cabeça e no corpo passei no neuro ele pediu p tomar a dose inicial já faz um mês e os sintomas n desapareceram ,teve melhora mais na menstruação voltou o queimor,esse sintoma pode ser da falta do remédio no sangue,fiz resso em fevereiro estava TD bem sem resquícios de tumor

  • Boa-noite, meu filho teve uma leve convulsão pela primeira vez com oito anos , levei em um neurologista , ele fez tomografia, eletro, exames de sangue , ressonância e não constou nada nós exames, e depois de dois anos , meu filho já com dez anos , ele teve uma convulsão dormindo , ficou desacordado urinou, levei ao hospital , enfim, foram feitos todos os exames , no eletrofalograma mostrou que ele teve realmente uma convulsão, ele está tomando carbamazepina 200 , duas vezes ao dia , à uns quatro meses, durante este tempo não teve mais crises, a neuro pediu uma nova eletro , e falou q se ele não tiver nenhuma crise durante um ano , ela vai suspender o remédio, eu fico um pouco insegura , será q meu filho não deveria tomar pelo menos mais um ano?

  • Olá Dr.

    Meu filho começou apresentar crises em 2013, aos 16 anos, fez exames de imagens e EEG tudo normal. Na ocasião o medico tinha receitado Tegretol 200 mg. Como teve outra crise, ele mudou para Oxcarbazepina 600 mg duas vezes ao dia. Dessa forma ficou quase 03 anos sem crise. No final de 2016, teve outra crise, mas o medico não alterou a medicação. Em 2017, começou apresentar crises de urticarias, o medico achou que poderia ser alergia e substituiu por Depakote, e ficou aproximadamente 10 meses sem crises. Porem as crises começaram a se descontrolar mesmo aumentando a dose dessa medicação, chegando a 2000 mg diárias. Dessa forma o medico retornou com a oxcarbazepina de 600 duas vezes ao dia, uma vez que foi descartada a alergia da medicação. Em 2018, teve duas crises, e dessa forma o medico aumentou a dose para 03 tomadas de 600 mg diárias. No início de 2019, teve uma crise, porem o medico não alterou a medicação, por associar que essa crise foi decorrente ao estresse causado pela perda do avo que ocorreu naquela semana. Sendo assim, vinha sem crises a mais de 09 meses. Porem na ultima consulta, devido o EEG ter apresentado “paroxismos epileptiformes generalizados associado à focalidade frequente de máxima eletronegatividade frontal direita e surtos de ondas lentas, envolvendo hemisfério direito”, o medico decidiu reduzir uma dose de oxcarbazebina, voltando para 1200 mg diárias em duas tomadas, e associar o Depakote er 500 em duas tomadas. Fiquei preocupado com essa conduta, por reduzir um medicamento que controla bem as crises, e associar um medicamento que se mostrou ineficaz. Qual opinião do sr nessa conduta? Meu filho poderá ficar totalmente livre dessas crises?

  • Bom dia Dr. Meu marido teve uma convulsão em outubro de 2017. Com 2 anos de tratamento sem crises e vários eletros sem alterações, o médico foi retirando o medicamento (carbamazepina 200mg). Parou totalmente em março. Só que ontem dia 31 de outubro teve outra crise. Começou novamente a medicação. Agora lendo aqui vi que é recomendado 5 anos de tratamento, acho que o médico não deveria ter suspendido o remédio com 2 anos e meio. Ele pode ser considerado epiléptico com essa nova crise? Deve seguir o mesmo tratamento? Obrigada

  • Boa noite

    Meu filho nasceu de 27 semanas.
    Tendo crises desde está época na UTI.
    Na ressonância teve diagnóstico de leucomalacia.
    Hoje tem cinco anos. Faz uso de trileptal.
    Este ano teve 3 crises. A última a três meses, o remédio foi ajustado.

    A neuro que acompanha diz que com o desenvolvimento do cérebro e plasticidade do mesmo eh possível que haja cura com amadurecimento e não ocorrer necessidade de medicação por toda vida.

    Bom, eu tenho fé e quero crer que seja possível. Dr. O Sr. Já acompanhou casos de cura parecidos com este?

    Obrigada Deus abençoe

  • Minha mãe..teve um AVC ..e ficou com seguelas no lado esquerdo ..fez vários exames do coração ..mapeamento .volter. ressonância .no coração não deu nada é na ressonância ..uma pequena mancha no cérebro .será que é isso que está causando as convulsões?? Ela está com a consciência boa é com autonomia .mas o braço esquerdo mesmo fazendo fisioterapia não voltou .isso já faz seis meses ..e de vez em quando ela tem crises convulsivas .volta em segundos ..toma os medicamentos certinho ..o que fazer ?

  • Olá Doutor, tenho uma filha com 6 anos, ela começou a ter umas crises no inicio do sono dela, começava a pista e mexer ai eu e meu esposo levantava ela e chamava ela ai ela voltava, mais essas crises do ano passado pra cá, veio aumentando, passei ela no neuro ela pediu pra fazer um eletrocefalograma, deu uma pequena alteraçao, ai pediu pra fazer uma resonancia e graças a Deus Não deu nada, mais no dia q passei com ela ,so tinha mostrado o eletrocefalograma, ela passou o remedio Trileptal 60mg xarope 2,5 ml, ai não dei o remedio pra minha filha, mais ai ela teve outra crise e nessa crise foi pior q paralisou o braço dela, levamos no hospital a caminho do hospital o braço dela começou a mexer de novo🙏conversei com a pediatra agora estou dando o remedio certinho,as crises dela só da no inicio do sono se não der em 30 a 4p minutos não da mais na noite, teve 2 vezes q ela ia ter a crise ai ela acordou assustada e falou pra mim q ia começar a ter mais acordou isso é normal?
    Gostaria de saber se esse remedio q ela esta tomando engorda muito?
    E tb gostaria de saber afeta nos estudos , se ela pode estudar em uma escola periodo integral, e se tem.curaela é uma criança muito eletrica nervosa e percebemos se ela passar muito nervoso ela tem essa crise dormindo.
    Obrigada desde já.
    Oro todos os dias pela cura pq não estou consigo dormi.

  • Boa tarde.

    Minha esposa começou a ter crises em abril de 2020 e tem em média 2x por semana. As vezes espaça e o máximo que ficou até agora foram 15 dias sem, e alguns casos teve 2 no mesmo dia.

    Ela começou o tratamento com lamotrigina e depois adicionou o Gardenal até a dosagem máxima e não controlou 300mg de lamotrigina ao dia e 200 mg de Gardenal ao dia , agora trocou e está tomando 100 de Gardenal e 1000mg de dapakene. As crises ainda não controlaram, eu senti que a maioria delas parece serem mais fracas que as primeiras em duração da crise e ela tremendo, porém as vezes tem uma mais forte mas não passa de 1 minuto tremendo. A maioria ela consegue sentir e se senta porém algumas não é acabou se machucando. Você acha esse tratamento adequado e é o processo mesmo? Outro ponto os exames já fé muitos até o ecg prolongado de 2 horas e não tem nenhuma alteração em nada.

    Obrigado

  • Boa noite Dr. Roger. Tive uma primeira crise em 2017; foi rápida cai no chão e me levantei rapidamente. Neste ano 2020 já tive aprox. 07 crises convulsivas. Tenho 46 anos. Nas crises as vezes caio; perco a consciência em todas e mordo a língua e depois volto ao normal. Durmo mal a muitos anos. Trabalho na escala de 24×72 e no trabalho descanso 4 horas. Em casa por 3 dias dias seguidos durmo. Meus exames eeg e tomografia estão normais. Estou tomando depakote er 1000mg a 2 meses e 10 dias e tive uma outra crise. Agora estou tomando 1500mg . 500mg dia e 1000mg noite.
    Meu médicamento será trocado por DEPAKENE. Já usei anaboli,antes mais a muito tempo e todos os meus exames laboratoriais estão todos dentro da normalidade e acredito não ter nada a ver. Ter epilepsia a está altura me deixa muito confuso Dr. Tem alguma explicação pra estes acontecimentos?
    Grato
    Danilo

  • Boa noite Dr. Roger. Tive uma primeira crise em 2017; foi rápida cai no chão e me levantei rapidamente. Neste ano 2020 já tive aprox. 07 crises convulsivas. Tenho 46 anos. Nas crises as vezes caio; perco a consciência em todas e moído a língua e depois volto ao normal. Durmo mal a muitos anos. Trabalho na escala de 24×72 e no trabalho descanso 4 horas. Em casa por 3 dias dias seguidos durmo. Meus exames eeg e tomografia estão normais. Estou tomando depakote er 1000mg a 2 meses e 10 dias e tive uma outra crise. Agora estou tomando 1500mg . 500mg dia e 1000mg noite.
    Meu médicamento será trocado por DEPAKENE. Já usei anaboli,antes mais a muito tempo e todos os meus exames laboratoriais estão todos dentro da normalidade e acredito não ter nada a ver. Ter epilepsia a está altura me deixa muito confuso Dr. Tem alguma explicação pra estes acontecimentos?
    Grato
    Wci vargas

  • Olá doutor, me chamo Tárcio, tive minha primeira crise aos 15 anos(em 2018) na escola, desde então venho tomando medicamentos, as crises foram diminuindo, é geralmente sempre num período de meses, 1 no começo do ano e outra no final do ano, só que agora elas estão dando em um período de 2 em 2 meses, queria saber se ainda posso ser curado, tenho 17 anos hoje.

  • Boa noite Dr. Roger.
    Tive uma primeira crise em 2017; foi rápida cai no chão e me levantei rapidamente. Neste ano 2020 já tive aprox. 07 crises convulsivas. Tenho 46 anos. Nas crises as vezes caio; perco a consciência em todas e mordo a língua e depois volto ao normal. Durmo mal à muitos anos. Trabalho na escala de 24×72 e no trabalho descanso 4 horas. Durmo em casa por 3 dias dias seguidos. Meus exames eeg e tomografia estão normais. Estava tomando depakote er 1000mg a 2 meses e 10 dias e tive uma outra crise. Agora estou tomando 1500mg; 500mg dia e 1000mg noite.
    Meu medicamento será trocado por DEPAKENE. Já usei anabolizantes, mais a muito tempo e todos os meus exames laboratoriais estão todos dentro da normalidade, sem alteração e acredito não ter nada a ver com isso. Ter epilepsia a está altura me deixa muito confuso Dr. Tem alguma explicação pra estes acontecimentos?
    Grato
    Wcivargas

  • Boa noite,
    Meu marido tem 29 anos, nunca teve crises ou sintomas epilépticos, mas o pai dele foi diagnosticado com epilepsia (acho que se tratou e curou).
    Meu marido teve coronavírus em maio deste ano, não sei se tem alguma relação, há umas 2 semanas ele vem se queixando de dor de cabeça quase todo dia na região da frente (da testa), enjoos e teve umas tonturas.
    Não me preocupei, achando q era apenas vista.
    Hoje ele saiu com os amigos do trabalho e bebeu muita vodka, conclusão chegou em casa aéreo, não lembrava de nada (o que parecia sintoma de bebado), mas do nada ele ficou paralisado, olhando pro nada com os olhos arregalados, branco, babando uma gosma grossa transparente (mas densa), saiu do ar, não me respondia e caiu de lado no chão… achei que ele tivesse morrido, chamei o vizinho para ajudar e depois de um tempo ele acordou, mas não lembrava de nada. Antes ele vomitou muito, e o vômito era bem amarelo e tinha umas gosmas brancas tbm, estranhas… Fiquei preocupada, e achei que era uma convulsão e logo fiz essas associações todas…
    Isso pode ser uma convulsão? Devo levá-lo no médico? Estou muito preocupada… pq não sei o que é uma convulsão, nunca presenciei isso… foi horrível!

  • Boa noite Dr. Soares
    Meu nome é Marcelo
    Tive uma convulsão pela primeira vez aos 47 anos. Depois de um ano fui ter outra , passado 2 meses tive mais uma. Só então procurei um médico que me diagnosticou com epilepsia, após uma ressonância magnética.
    Desde de 1986 sinto um apagão momentâneo, fico fora do ar por segundos.
    Desde que o médico falou que estava com epilepsia, comecei a tomar gardenal 100mg, um comprimido por dia. Nunca mais tive crise convulsiva,já se passaram mais de 7 anos. Só que tenho constantemente a suposta crise de ausência.
    Antes de começar com o tratamento, bebia cerveja todos os dias. Nunca mais bebi, por orientação médica.
    É possível eu não ser epiléticos?
    Vejo que quando estou nervoso as supostas crises de ausência, aumentam.É normal isso acontecer?
    Gostaria de marcar uma consulta com o Senhor, para que possa ver a ressonância, e me dizer se é mesmo epilepsia.
    Muito obrigado

  • Olá Dr Roger, fui diagnosticada com epilepsia aos 2 anos de idade, quando tive uma convulsão pela primeira vez com febre. Hoje já faz dez anos não tenho crise. Porém tive três gestações, nas duas primeiras fiz acompanhamento com o neurologista ele me passou a mesma medicação que tomava quando criança carbamazepina, tomei mais não corretamente, na terceira fiz acompanhamento mais não tomei medicação. Nas três gestações não tive crise com convulsão. Minha última convulsão foi aos 15 anos, hoje estou com 25 anos, quando era criança meu médico disse que se chegasse aos 15 e não tivesse nenhuma crise estaria curada, porém aos 15 tive uma, e até hoje nenhuma. Posso estar curada?

  • Olá Dr!
    Meu noivo tem 35 anos e no final de agosto/2019 teve sua primeira crise durante o sono, consultou no posto de saúde onde trabalhava e como não apareceu nada nos exames disseram que devia ter sido algo isolado. Passando uns 2 meses ele teve mais 2 crises, em duas noites seguida e também enquanto dormia. Consultando um neurologista ele solicitou uma tomografia e também não encontrou nada. Então receitou 3 comprimidos de Fenitoina 100 mg por dia, mas a dose parecia muito alta, meu noivo esquecia de algumas coisas, suava muito durante a noite e apresentava manchas vermelhas no corpo, aos poucos fomos diminuindo a dose e por fim ele está tomando um comprimido por dia. Porém como está há mais de um ano sem crise e sem saber o real motivo, pois o médico descartou epilepsia, ele parou de vez em quando com o remédio para poder beber socialmente. Mas ele parou um dia pra beber uma cerveja e no outro dia esqueceu de tomar o remédio, então com 2 dias sem tomar acabou tendo outra crise. Agora estamos preocupados novamente por não ter um diagnóstico e vamos voltar a buscar respostas, mas não conseguimos consulta de imediato. Já fazem quase dois dias da crise e ele não consegue caminhar direito, não sente dor nas pernas, mas elas estão sem força. Nas outras vezes ele não ficou assim, será pela interrupção do remédio por dois dias?

  • Eu fui diagnosticada com epilepsia aos 3 anos de fiz tratamento com gadernal de tegretol até os 10 anos (fiquei dos 7 aos 10 sem crises), hoje tenho 29 anos e a minha dúvida é se posso ter algum problema numa futura gravidez e parto natural ou é indicado a cesária como em mulheres que ainda possuem a epilepsia?

  • Olá, meu namorado tem crises desde os 10 anos de idade, ele tomava fenitoína 3 vezes ao dia, até que esta medicação não surtiu mais efeito há 2 anos atrás, e o médico mudou para Depakote ER 500mg de 12h em 12h.
    Hj ele tem 24 anos, 2 anos tomando DEPAKOTE er porem continua tendo crises ao menos uma vez no mês (sendo que no exame a medicação está em nível terapêutico) quando ele tomava fenitoína desde a infância chegava a passar quase 1 ano sem crises.

  • Olá Dr. Boa tarde
    Me chamo Abel sou epilético desde meu 13 anos de idade, na.minha adolescência sofri muito com esse problema até que um médico me receitou o tegretol Cr , eu tomo 800mg por dia, hoje tenho 44 anos e tive uma crise depois de 4 anos sem nada, procurei um médico e ele resolveu trocar o tegretol pelo kepra, estou retirando o tegretol aos poucos e inserindo o kepra, ocorre que quando o tegretol chega a 400mg dia eu tenho uma crise, hoje estou tomando 3 comprimidos de 750mg do kepra por dia e 400mg do tegretol e uma de vê uma crise forte que esta noite. Será que o Dr. Poderia me dar uma segunda opinião , será que vale a pena tirar o tegretol depois de 20 anos tomando essa medicação?
    Desde já agradeço!!!

  • Olá Dr, com 18 anos sofri um acidente, com fratura polifacial e traumatismo craniano, agora tenho 30 anos,e nesse ano tive um episódio de 5 convulsões numa noite, foi feito exames de imagem e nada foi encontrado, e o traumatismo sicatrizado, alguns dos médicos acreditaram que foi por causa da lesão de 11 anos atrás, outros acreditam que foi por uma infeção de urina que foi encontrada no dia do ocorrido, foi retirado ate licor da espinha e nada foi encontrado, hoje a mais de 1 ano tomo fenitoina de 100mg, 3 veses ao dia e nunca mais tive nenhuma crise, nem cintomas de crise, qual sua opniao sobre esse assunto? O senhor acha que eu vou tomar esse medicamento contínuo pro resto da vida, ou terrina alguma chance de um eu parar de tomar o remedio

  • Olá Dr, meu namorado tem crises desde os 14 anos, tomava hidantal até que não estava mais surtindo efeito e foi há 2 anos atrás foi trocado por DEPAKOTE ER 500mg, 3 vezes ao dia.
    Ele está com 24 anos, porém o depakote nunca controlou totalmente as crises, nesses dois anos da nova medicação o máximo que ele passou foi 3 meses seguidos sem uma crise, mas ele sempre tem uma crise no mês, ja chegou a ter 2 dentro de um mês.
    E quando tomava hidantal ele passava quase 1 ano sem ter crises.

  • Prezado Médico Roger!

    Eu comecei a ter primeira crise generalizada aos 22 anos de idade quando comecei entrar numa fase de transição de mudança de residência de norte para o sul do país, morar sozinho e trabalhar na área da educação pelo concurso público. Sou deficiente auditivo parcial (surdez no ouvido direito e parcial no ouvido esquerdo). Com aumento de responsabilidade, ansiedade e estresse ocasionaram síndrome de pânico, crise de ausência, crise convulsiva, etc. Fiz duas vezes o exame de ressonância magnética, eletroencefalograma, exame de coração e de sangue. Dentro dos padrões normais, não há lesões, tumores, etc.

    Portanto, um médico solicitou eu ficar acordado até a madrugada (03:00) e no dia seguinte para fazer exame de eletroencen e percebeu algo que tenho epilepsia cuja denominação de atividade paroxístia tipo onda aguda lenta com origem sobre regiao fronto-parietal a esquerda. Por conta dessa estratégia de privação de sono e resultado tomo dois remédios como Oxcarbazepina 300mg (Trileptal) e Clonazepan 10mg (Frisium), todos os dias. Ambos estão contribuindo no controle. Teve um período que suspendi, alguns meses depois tive crise novamente e voltei a tomar novamente. Eu sou pessoa regida de alimentação saudável. Sou favor de remédios oriundos da natureza. Estou tentando realizar consulta para ingestão de Vitamina D e também Canabidiol (esse já tenho autorização e dosagem certa, mas o problema é o preço ser altíssimo e importado).

  • Bom dia
    Meu nome é Juliana meu filho desde dos 8 q faz tratamento com Trileptal Devido a uma convulsão q ele teve.
    Após 2 anos de tratamento ele teve uma outra convulsão agora esta C 7 meses sem crise. Doutor a tomografia deu tudo normal , alterações só no eletro, será q um dia ele irá ficar curado????
    As vezes fico em pânico.

  • Bom dia Dr. Roger

    Tenho 34 anos, e a partir do ano de 2019 tive 3 episódios de acordar urinada. Pensei ser incontinência urinária.. Segui minha vida normal. Em novembro de 2020 tive uma, agora dividindo o quarto c uma amiga, tive uma crise convulsiva a qual minha cachorra percebeu e chamou minha colega de quarto. E novamente acordei urinada. Após, a crise eu N me lembrava do q havia acontecido. E acordei c os bombeiros no quarto. Fui para o hospital fiquei internada 5 dias. E foi diagnosticado MAV. Porém, desde então tenho feito exames, fiz TAC, angiografia, eletro, ressonância e tem mais alguns pra fazer, pra logo depois se decidido o tratamento. Atualmente, estou tomando levitaceram 500mg duas vezes ao dia. (Uma observação, geralmente quando tive as crises as que eu N percebia por esta só no quarto e a q eu foi presenciada. Eu bastante consumo de álcool.) a minha pergunta é por eu ter MAV eu tenho epilepsia? Em 34 anos sempre tive uma vida normal e saudável. Vou ter que tomar esse medicamento até quando, pra sempre? Caso eu pare de tomar o medicamento e não faça mais ingestão de álcool, posso ter uma vida normal, sem convulsão? Essas são minhas dúvidas. Desde já agradeço.

  • Olá bom dia Dr meu filho teve a primeira crises dia 25 de novembro de 2019 desde então levei a neuropediatra ela diagnosticou ele com eplepisia rolandi noturna,prq a primeira crises deu a noite
    Em primeiro ele começou a tomar trileptal 600
    Uns meses depois comecou antes crises novamente aí ela passou trileptal é lamitor
    É esse ano ele comecou a ter crises novamente só q cada crise e diferente no começo ele se retórica todo a última q deu ele fica com o olho parado tipo paralisado sáb ,foi muito pra gente q é mãe ver o filho assim
    Aí ela passou oleptal 600
    Keppra 250 ms vai chegar ao de 500
    E já comecei a diminuir o lamitor
    Ela disse q vai tirar totalmente o lamitor é deixar o keppra 500 e o oleptal 600
    A primeira crises q deu nele ele tinha 10 anos hoje está com 12
    Será q meu filho vai sarar doutor?
    Ela disse q de 14 aos 18 ele se curam gostaria de ter uma segunda opinião

  • Dr , meu filho foi diagnóstico com 14 nos epilepsia mioclônica juvenil , toma medicação que está sempre abaixo da dosagem nos exames de sangue, depakote e é sempre está com 20 na dosagem do sangue, inferior a dosagem correta que seria 50, mas meu marido nunca quis aumentar seguindo a médica , já faz 4 anos, teve a crise completa , as mioclonias quando teve eh não sabia do que se tratava , até ter a convulsão e cair .
    Não sei se deve seguir ou não com esse remédio por a médica falou que não teria nunca cura , e não vejo assim .
    Ele não tem mais crises, só uma dor de barriga enjoo e vômitos quando sai com amigos e come segundo ele coisas que não está acostumado pq ele é muito saudável no dia dia .

  • Ola doutor
    Tiver minha primeira crise com 17 anos fiquei muito agressivo durante a crise depois comecei a fazer o uso de gardenal100mg mais mesmo assim continuei tendo crises focais começei fazer o uso de cabarmazepina 100mg mais continuei tendo crises o medico almentou a dosagem da cabarmazepina para 200mg ai tudo ok passei mais de cinco anos sem ter crises foi tirado meu medicamento depois de tirado o medicamento passei 1 ano sem crises depois disso as crises voltaram e muito mais fortes pois as mg das medicaçoes tiveram que ser aumentadas hoje tomo 600mg de cabarmazepina e 200mg de gardenal tenho 27 hoje egg deu ok ressonancia ok sera que nunca vou me livrar desses medicamentos obg doutor . sou de Pernambuco mais admiro muito o seu trabalho

  • Olá me chamo Joyce !
    Tenho uma irmã que teve a primeira crise com 4 meses de vida , está com 16 anos , a Neuro diz que a epilepsia dela é de difícil controle. Ela faz uso de 3 medicações. Mesmo assim tem pelo menos 4 a 6 crises por semana. E quase sempre no 2 no mesmo dia.
    Quando vamos a consulta a Neuro simplesmente fala que não sabe o porque das crises.
    Ela tem crises a 16 anos , já fez uso de diversas medicações e nenhuma e nenhuma fez com que ela parasse de ter crise.

  • Olá doutor gostaria muito que o senhor me ajudasse a esclarecer minhas dúvidas a minha filha foi diagnosticada com crises de ausências o neorologista receitou 50 g de lamotragina pela manhã e 50g de lamotragina pela noite nao teve mais crise de ausencia como as crises eram fracas e estavam controladas passei a dar ela apenas um comprimido pela manhã e passou a fazer uso de anticoncpicional ciclo 21 porque tem muitas colicas menstruais a dois dias atrás deve uma crise geral durmindo onde se debateu babou e teve perda de consciência fiquei muito preocupada minha duvida é a seguinte sera que esse quadro que ela apresentou foi pela falta de medicaçao e interação medicamento ciclo 21 ou a epilepsia esta agravando levei ao neoro ele simplismente aumentou a dose para 1 comprimido de 100mg de lamotragina ao dia e um a noite nem me deixou explicar oque aconteceu se puder me ajudar agradeço ela tem 14 anos

  • Meu filho tem 4 anos última crise foi com 1 ano tomava depakene último exame deu bom isso significa que ele tava a curado?

  • Ola doutor, eu tive epilepsia em criança e apos tomar varios anos medicação aos 18 fui considerado curado, no entanto foi-me dito que nao poderia beber alcool ou beber cafe devido a que as crises podessem voltar, neste momento tenho 34 e nunca mais tive qualquer tipo de crises… Essas indicações continuam a ser validas? ou seja o consumo de alcool e cafe?

    Desde já agradeco o tempo disponivil

  • Bom dia Dr meu filho começou da crise com 12 anos levei pra o neuro passou torval de 500 usar 1 a noite mais agora ao 14anos a crise voltou levei pra o neuro de novo passou o mesmo torval agora 2x ao dia mais lomatrigina também 2x meu filho tem 14 o neuro falou que pode vir ficar curado da face da adolescência pra adulta o que o senhor mim diz

  • Olá, me chamo Izabela, tive minha primeira crise aos 13 anos e só fui começar a tomar medicação aos 18 anos. Minha atual neurologista me disse que foi negligencia medica não me medicarem antes e não terem me dito que eu havia epilepsia, só porque meus exames davam tudo sem ok, nunca aparecia nada, o único que fiz que deu alterado foi um que ela me pediu, que monitoraram o meu sono. Minha ultima crise foi a 6 anos atrás, foi muito forte, e passei a tomar 3 comprimidos de Depakene – sempre tive crises enquanto dormia, comecei tomando 1 de dia, depois 1 a noite, 1 de dia e outro a noite, até que passei a tomar 2 a noite e 1 de manhã. Ano passado depois de refazer um exame onde não deu mais alterado, e estar a quase 6 anos sem crise, meu medico me orientou a diminuir a dosagem pra dois comprimidos a noite, posso me considerar curada ou preciso esperar dar 10 anos e ficar totalmente sem a medicação.
    E gostaria de saber se devo sempre fazer acompanhamento, devido ao meu histórico, mesmo se estiver curada.

  • Eu tive diagnóstico de epilepsia idiopática aos 26 anos, em 2012, no período entre 2012 e 2013 tive aproximadamente 5 episódios, era muito rebelde em relação a medicação, mas enfim fiquei esse período de 2013 até 2020, sem crises e não utilizava medicação, agora em 2021, apresentei nova crise, fiz TC que deu normal, enfim…7 anos sem medicação não daria para considerar cura?

  • Bom dia, Dr. Meu nome é Melissa e estou desesperada. Estou medicada com 500mg de divalcon 2x ao dia mas continuo tendo crise. A minhas crises são psiquicas. Vem um sensação de medo, seguida com uma contração no estomago e após um dejavu. Sobre isso eu andei pesquisando vi que é normal. O problema é que a sensação de medo não tem passado mesmo quando eu não tenho crise. Já cheguei a ficar 15 dias sem a crise mas com a sensação de medo não passa. È horrivel. Me sinto como se estivesse num lugar ruim e que algo vai me acontecer. Parece até coisa espiritual. Qual a experiência com os seus pacientes neste sentido?

  • Dr. tive epilepsia quando criança, com crises de ausência e convulções. Aos 6 anos parei de tomar medicamentos e desde então não tive mais nada. É possivel desenvolver a doença novamente? e quais são as chances de acontecer?

  • Boa tarde doutor
    Gostaria de saber se tem cura para epilepsia causada por cicatriz interna devido retirada de tumor no cérebro e quantos anos precisa tomar medicação

  • Olá doutor, meu nome é Carlos Henrique. Eu tive um crise convulsiva generalizada em 2008, quando eu tinha 17 anos de idade. Até então não havia tido crise. Logo em seguida procurei um médico especializado aqui no Hospital Neurológico de Goiânia, realizei os exames solicitados (Exame de sangue, RM do crânio e eletroencefalograma). Mas os exames deram normais e ele decidiu não entrar com medicamentos. Passado alguns dias comecei a sentir uma mistura de mioclonias e espasmos leves, mas de forma difusa, sem região específica. Procurei então outro médico, realizei novamente eletroencefalograma e eletroneuromiografia, porém novamente os resultados deram normais. O médico não quis passar medicamentos. O problema é que desde então convivo com esses sintomas, que atrapalham minha qualidade de vida. Em 2018 procurei outro médico, contei a minha situação para ele, ele resolveu passar depakote 250 mg, usei por mais ou menos 6 meses, sem sucesso. Procurei outro médico recentemente realizei os mesmos exames e mais uma vez RM, a diferença foi que o eletroencefalograma deu “achado inespecífico”. Mas segundo o médico não dá para concluir. O último médico então passou duloxetina 30 mg, suspeitou que fosse uma problema psicossomático. E por incrível que pareça melhorou muito, porém ainda continuei sentindo de maneira bem mais controlada. Ele mandou eu procurar um psiquiatra para continuar o tratamento, cheguei a procurar um psiquiatra, mas ele mal sequer olhou na minha cara e mandou dobrar a dosagem. Conclusão, resolvi parar de tomar medicação e continuo com estes sintomas desagradáveis, e o pior é o trauma de poder a qualquer momento ter outra crise generalizada novamente. Estou perdido, o que me aconselha? nenhum médico (neurologista) tem conseguido me ajudar. Obs: tive apenas uma crise generalizada há quase 13 anos atrás, mas desde então tenho espasmos leves e mioclonias difusas.

  • Boa noite Dr.
    Meu filho foi diagnosticado com ausência da infância esta a dois anos sem crise e o etroencefalograma esta dando normal, a médica que o acompanha esta querendo tirar a medicação do meu filho, mas estou insegura qt a isso, gostaria de uma nova opinião.

  • Meu esposo teve sua primeira convulsão aos 34 anos. TC e RM deram limpos e os exames de sangue e urina tudo normal, sem alterações.
    Qual próximo passo para tentar descobrir o motivo? Essa convulsão pode voltar ? Não conseguimos ainda voltar a rotina normal com receio, sem saber o motivo e se pode ocorrer outro episódio. O que acha Dr?

  • Olá o meu filho foi lhe diagnosticado epilepsia fez no mês de março 5 anos, ele só tem crises quando está para dormir foi lhe receitado depakine em xarope , começou por tomar 50mg de 3 em 3 dias aumentava se a dosagem neste momento está a tomar 200mg a 3 dias ele tem 20kg eu gostaria de saber quanto tempo leva mais ou menos o medicamento fazer efeito para ele começar a deixar de ter as crises . A médica que o está a seguir diz k ele pode aumentar a dosagem até as 400mg mas só quando ela disser .

    Obrigada

  • Minha filha teve a primeira crise de epilepsia aos 7 anos, estávamos na pandemia e o neurologista passou somente depakote 125mg 3x ao dia ela pesava 47 kilos, teve mais três crises e procurei outro neurologista, onde fez ressonância magnética de crânio resultado normal e vídeo eletroencefalograma de 12 onde apareceu epilepsia mioclonica, então a dose de depakote foi ajustada para 500mg 3 x ao dia.
    Não teve mais crise, mas sente muito enjôo e perdeu quase todo o cabelo.
    Estou preocupada.

  • Ola tenho 19 anos estou com medo de estar com EMJ porem n sei se os sintomas se encaixam tudo começou depois de 1 mes q tive meu filho tudo fou muito estressante desde amamentaçao parto pricaçao de sono brigas de familia percebi uns movimentos rapidos nos braços do nada sera q pode ser? Tive convulsao febril quando pequena fui tratada com gardenal e nos exames nao deu nada fui encaminhada para o psiquiatra porem esses movimentos nao sao continuos oq vc acha?

  • Olá. Meu nome é Daniela. Fui diagnosticada com epilepsia aos 16 anos após uma convulsão. Em 2014. Minha última crise epiléptica foi em 2016. Em 2 anos tive 7 convulsões. Aos 18 anos fui mãe, hoje tenho 22 anos e não tenho ataques desde então, ainda assim continuo fazendo tratamento com lamotrigina. Será que estou finalmente livre? Tenho medo todos os dias.

    • Olá Daniela,

      O importante é que você está sem crises e no momento certo seu médico vai conversar sobre retirada de medicaçAo.
      tomara que dê certo!

      att

      Roger Soares

  • Olá. Dr. Estava a pesquisar pela Net quando vim parar na sua página. Minha filha, teve a primeira crise nos primeiros dias de vida dela apois O nascimento. Teve tremor no Membro inferior e superior esquerdo. Levei ao médico e O médico fez exames e disse que estava tudo normal. Ela não engatinhou. E demorou para andar. Quando tinha quase 2 anos começou dar os primeiros passos, notamos que ela mancava, arrastando a perna esquerda dobrava a mão esquerda. A levamos ao hospital após vários exames, descobrimos que ela tem Eplepsia. O Médico receitou Carbamazepina. E ela tomou até que teve a primeira convulsão com 5 anos, O médico contínuo a receitar O mesmo. Remédio. Com 8 anos ela praticamente tinha crise todos dias. E não comia. Mudaram a medicação por valproato de sódio. As crises diminuiram. Para 1 em cada mês. Estamos nessa luta. É possível que a minha filha fique sem ter a crise durante tanto tempo? N sei O que fazer

    • Olá Edna,

      O quadro de sua filha é diferente porque as crises dela podem ser decorrentes de alguma lesão cerebral.
      Sem fazer uma avaliação completa, não consigo falar sobre as perspectivas para ela.

      atenciosamente

      Roger Soares

  • Olá Doutor ,me chamo Lucas ,tive a minha primeira crise com 3 anos ,fiz cirurgia aos 13 ,o médico falou que ia me curar 80%,mas ele me curou praticamente 100%. Porem a aos 21 anos comecei a fazer uso de bebida alcoólica e parei aos 31 . Esses dias eu caí e sei que foi uma crise. Eu tenho crise geralmente a noite ,com olho fechado ,nunca com olho aberto . Mas me mudei pra uma cidade com ar muito pesado por conta de uma represa que tem aqui e me sinto com a respiração pesada . E depois dessa queda fiquei somado de ter outra. Tenho família,carteira de.motorista,uma filha muito esperta e inteligente. Não quero ter crise doutor ,oque eu faço ?

    • Olá Lucas,

      Depois de tanto tempo não era esperado que você voltasse a ter crises. mas se tem tido crises durante o sono, deve voltar a tomar medicamento.
      marque uma consulta com neurologista. Eu também atendo à distância se quiser passar comigo.

      Roger Soares

  • Aos 12 anos tive a primeira crise. Fui ao médico e depois de alguns exames, fui diagnosticada epiletica. Lembro que dis 12 aos 15, tive três crises e daí dei início ao tratamento para parar. Quando estava tomando 15% da medicação que era 100g, senti que ia ter crises e por 2x consegui tomar os remédios. Mais pra frente ainda nesse tratamento tive uma crise e continuei meu tratamento voltando a tomar todos os dias as 100g e desde lá, nunca mais tive crises. Hj tenho 42 anos e sigo sem crises. Por volta de uns 4 a 5 anos eu parei de tomar gardenal e continuo sem crises. Devo procurar um neuro para investigar se ainda sou epiletica? A minha mãe até hj me trata como tal e eu queria ter provas para que ela tranquilize um pouco mais.

    • Se você está há mais de 10 anos sem crises e há 5 anos sem remédio, sua epilepsia pode ser considerada curada.
      Vale a pena voltar no neurologista para uma reavaliação e para sua mãe poder ouvir também as orientações dele.

      Roger Soares

  • Dr. Boa noite!
    Tive epilepsia aos 12 anos, aos 14 não tive mais crises e os exames apontaram tudo ok.
    A neurologista na época iria fazer o desmame da medicação (fenituina), mas devido as condições financeiras dos meus pais não podemos dar continuidade ao tratamento com a mesma(Particular).
    Eu ia no posto de saúde e só renovava a receita do medicamento.
    Hoje aos 28 anos, não tenho convulsão , mas sinto crise de ausência quando estou no meu período menstrual .
    Voltei ao neurologista relatei meu problema, informei que hoje tomo Fenarbobital e tenho muitos efeitos colaterais, e ele trocou o medicamento para Antara.
    Estou com medo de tomar e ter alguma crise.
    Alguma sugestão?

    • Olá Maria Luiza,

      Se você tem tido crises de ausência no período menstrual, então você ainda tem crises e precisa de tratamento.
      Recomendo que procure novamente um neurologista.
      Fico à disposição.

      Dr. Roger Soares

  • Olá dr!
    Meu sobrinho tem 2 anos e 9 meses. Na quinta feira ele convulsionou. Ele ficou torto, revirou os olhos, babou e em seguida desmaiou.
    Sendo que 3 dias anteriores ele estava vomitando e com diarréia, até chegar o dia da convulsão.
    Foi levado ao pronto socorro e lá fizeram exame de sangue, de urina, raio-x e tomografia. Em nenhum dos exames constou alguma alteração.
    Lá no pronto socorro ele teve mais 3 espasmos, tudo no mesmo dia.
    Ele passou a noite no hospital em observação e todo o dia seguinte tbm.
    Foi liberado para casa, mas o médico receitou o depakene.
    A nossa dúvida é…isso é considerado eplepsia diante desses fatos?

    • Como ele teve as crises no mesmo dia e havia o problema gastrintestinal, não é possível ainda fechar o diagnóstico de epilepsia. Contudo, ele teve várias crises e o médico fez bem em passar medicamento até que ele faça todos os exames necessários. Não percam tempo e o levem imediatamente a um neuropediatra.
      boa sorte!
      Roger Soares

Comments are closed.