Tai Chi Chuan e Parkinson: ao encontro do equilíbrio

Tai Chi e Parkinson: equilíbrio e bem estar

Nos últimos anos vários cientistas têm olhado para formas complementares de tratamento da doença de Parkinson. Embora as medicações atualmente disponíveis sejam muito eficazes no controle dos sintomas motores e não-motores, sabemos que elas tem limites na sua ação. Nesse cenário entram as terapias alternativas e complementares para tentar melhorar aquilo que os medicamentos não alcançam. O Tai Chi é uma técnica corporal chinesa que já se provou eficaz em melhorar sintomas motores e não-motores da doença de Parkinson.

A comprovação científica

Antes de recomendarmos um tipo de tratamento, seja farmacológico ou não, precisamos ter certeza de sua segurança, de sua eficácia e possíveis riscos. O Tai Chi foi a primeira técnica corporal cuja eficácia em Parkinson foi demonstrada e publicada em um periódico de grande impacto. A prestigiada revista New England Journal of Medicine publicou uma pesquisa em 2012 que comparou os efeitos do Tai Chi no Parkinson com exercícios de alongamento e treino de resistência.

Nesse estudo, 195 participantes com Parkinson leve a moderado foram divididos em 3 grupos: um fez Tai Chi, outro fez treinos de resistência e outro fez exercícios de alongamento. Depois de 6 meses realizando o protocolo de Tai Chi, com 6 posições integrada numa sequência de 8 formas, os participantes tiveram melhora no equilíbrio, menor risco de quedas, maior amplitude de movimentos. Seus ganhos foram maiores que nos outros grupos em quase tudo.

Desde então, os estudos têm se intensificado e cada vez mais se confirma que alguns tipos de exercícios podem amenizar sintomas motores e não-motores no Parkinson. Além do Tai Chi, já existem evidências de que o QiGong e o Tango Argentino favoreçam o controle das funções motoras.

O que é o Tai Chi Chuan

O Tai Chi Chuan é uma forma de arte marcial chinesa realizada de forma lenta e contínua. As posições e movimentos podem ser vistos como ataques ou defesas, mas para o Taoísmo representam muito mais que isso.

Essa técnica corporal está baseada nos fluxos de energias sutis que compõem o mundo e para os adeptos do taoísmo, além de ser uma arte de luta, o Tai Chi Chuan é uma forma de equilibrar as energias vitais ou Chi, que fluem pelos meridianos do corpo.

Tudo começa com a criação do universo que se realiza por meio do contraste entre as energias Yin e Yang. O símbolo oriental do Tai Chi representa a transformação do Yin no Yang e vice-versa, formando um ciclo contínuo.

O Yang é o luminoso e o Yin é o obscuro. Um contém em si a semente do outro. Yin gera Yang – Yang gera Yin

A natureza manifesta essas energias em pares de opostos. Todo Yin tem sua contraparte Yang. A cultura ocidental é muito focada no Yang que é o movimento, a energia. A oriental, por sua vez, valoriza também a quietude, a suavidade e a receptividade que são própria do Yin.

No Tai Chi Chuan, os movimentos são encadeados, sem interrupção, fluindo suavemente de uma postura para outra. Essa é uma característica do ciclo yin-yang. Quando o yin atinge o seu máximo, ele se transforma naturalmente em yang. Por sua vez, quando o yang atinge o seu máximo, ele se transforma naturalmente no yin. Esse ciclo é bem visível na respiração: depois de uma inspiração profunda, segue-se uma expiração e então uma nova inspiração…

Além dos princípios Yin e Yang, o Tai Chi Chuan segue as transformações das energias representadas no Baguá. Esse sistema é composto por 8 trigramas dispostos nos pontos cardeais e colaterais.

Os 8 trigramas do Baguá do Céu Posterior refletem as mutações das energias primordiais

Aprendizado no Tai Chi e benefícios no Parkinson

Sabe-se que o Parkinson afeta o controle dos movimentos, impedindo o funcionamento adequado dos gânglios da base. Teoricamente, quando uma pessoa tem que aprender o Tai Chi, ela deve criar programas motores no córtex cerebral que comanda os gânglios da base. Isso acontece porque os movimentos do Tai Chi Chuan são novos para a pessoa, o que demanda uma reorganização das células cerebrais. Esses novos programas ficarão á disposição no cotidiano para ajudar no equilíbrio e nos movimentos.

Além disso, aprender novos movimentos corporais é uma forma de ativar um tipo de memória muito peculiar. A memória procedural ou procedimental é considerada uma memória não-declarativa e acontece de forma quase inconsciente. Diferente a memória de episódios ou de conhecimentos de fatos do mundo, a memória procedural é implícita. Ela permite o aprendizado de movimentos automáticos como digitar no teclado, escrever à mão ou andar de bicicleta. Desse modo, a memória procedural é um tipo de memória yin, pouco aparente, mas que dá sustentação ao que se manifesta externamente.

A memória procedural ativa os gânglios da base

Vale também lembrar que em geral as aulas de Tai Chi Chuan são coletivas, proporcionando uma integração social em um ambiente seguro para os pacientes. A consequência é uma melhora do humor e uma diminuição de sintomas não-motores como a depressão. Com o ânimo mais elevado, os pacientes percebem uma melhora na qualidade de vida.

Locais para a prática

Existem vários locais para a prática de Tai Chi Chuan, QiGong e outras técnicas milenares chinesas que podem ser úteis no Parkinson.

Em geral, você pode procurar academias de Kung Fu e perguntar por aulas de Tai Chi Chuan. A maioria oferece esse tipo de atividade. Outra possibilidade é ficar atento aos parques municipais, como o Burle Marx. Os praticantes da arte costumam fazer atividades a céu aberto ao nascer e ao por do sol.

Em São Paulo, existem locais especializados para a prática, como a Sociedade Brasileira de Tai Chi Chuan e a Academia Wong de Tai Chi Chuan. Aos que gostariam de conhecer mais a fundo a medicina tradicional chinesa e os benefícios de técnicas como o QiGong, o Tuiná e os tratamentos chineses, há locais tradicionais em São Paulo como o CEMETRAC. Por fim, para aqueles que desejam ir mais a fundo e conhecer a tradição espiritual do Taoísmo e aprender sobre as energias sutis envolvidas nessas artes, recomendo a Sociedade Taoísta do Brasil, na Liberdade.

Hora de novos projetos

Como dizem os amantes do futebol, o jogo só termina quando o juiz apita. Embora a doença de Parkinson seja um desafio na vida de qualquer um, o diagnóstico da patologia é apenas o começo de uma nova fase que durará décadas. Depois de um tempo para absorver o impacto da novidade, é preciso reorganizar suas estratégias e aprender a conviver bem com o problema.

Na verdade, no momento que assumimos que aquela condição tornou-se parte do nosso ser, criamos a oportunidade de aprender com ela. Em vez de ficar lutando e resistindo, o melhor é receber essa energia que a vida nos trouxe e fazer algo de positivo com ela. O Tai Chi Chuan pode ser um primeiro passo nesse novo caminho.

Roger Taussig Soares
Neurologista – SP
crm 69239

Digiprove sealCopyright secured by Digiprove © 2019 Roger Soares

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *