Numa sala de aula com 20 crianças basta um Joãozinho inquieto e hiperativo para botar fogo na classe e deixar os cabelos da professora brancos como neve. Apesar de engraçado nas anedotas, o menino que pula, trepa, sobe e agita, mesmo sem querer, causa transtornos para os que dividem com ele o dia-a-dia e para si mesmo também. Lembro de um garoto cujo apelido era "foguetinho"! Imagine o desespero de professores, diretores de escola, bedéis e da mãe para lidar com o foguetinho. Na década de 80 não se falava em TDAH e o menino era tido apenas como mal-educado ou endiabrado. Mas enquanto todo mundo quer apagar o pavio do foguetinho com medicações e terapias, poucos se preocupam em ver como ele se sente por dentro.

Leia Mais

Os tratamentos mais eficazes para o Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade baseiam-se no uso de medicamentos estimulantes do sistema nervoso central. Comercialmente disponíveis no Brasil, representam essa classe de drogas o Metilfenidato (Ritalina e Concerta) e a Lixdexamfetamina (Venvanse). Como essas medicações aumentam a atividade de neurotransmissores cerebrais como a dopamina e a noradrenalina, existe a preocupação que seu uso possa gerar consequencias negativas para o sistema cardiovascular e para a circulação cerebral, predispondo os usuários a infarto do miocárdio, arritmia cardíaca ou acidente vascular cerebral.

Leia Mais

A resposta parece óbvia. Mas diante da pergunta se TDAH existe, são igualmente convictos os que respondem sim e os que respondem não. As argumentações costumam elencar vários pontos de vista, cada qual com seu valor, e não se alcança um veredito final. Nesse texto discutiremos alguns dos problemas relacionados ao conceito de Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade e defenderemos o ponto de vista da pessoa afetada que necessita de uma solução prática.

Leia Mais

Sentar a manhã inteira em uma carteira escolar com tanta coisa para fazer no mundo físico e na realidade virtual das redes sociais é difícil para qualquer um, mas para quem tem déficit de atenção e hiperatividade é muito pior, é um verdadeiro suplício. A estrutura da escola está defasada ou a tecnologia avançando rápido demais. O fato é que os portadores de TDAH são, para o melhor ou para o pior, pessoas do seu tempo e não se coadunam com o modelo de ensino atual.

Leia Mais
Back to top